Nossa missão ao mundo

Assim como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu os enviei ao mundo. João 17:18.

Porventura a separação do mundo, em obediência à ordem divina, nos incapacitará para a obra que o Senhor nos deixou? Estorvar-nos-á de fazer o bem aos que nos rodeiam? — Não; quanto mais firmes estivermos em nosso apego ao Céu, tanto maior será nosso poder de prestatividade. Devemos estudar o Modelo, para que habite em nós o espírito que habitava em Cristo. O Salvador não era encontrado entre os exaltados e honrados do mundo. Não passava Ele o tempo entre os que buscavam sua comodidade e prazer. Trabalhava para ajudar os que careciam de auxílio, para salvar os perdidos e os que estavam prestes a perder-se, para levantar os oprimidos, para despedaçar o jugo dos que se achavam em cativeiro, para curar os doentes, e falar palavras de simpatia e consolação aos tristes e acabrunhados. Somos solicitados a seguir esse exemplo. Quanto mais participarmos do espírito de Cristo, tanto mais procuraremos fazer pelos nossos semelhantes. Havemos de bendizer os necessitados e confortar os entristecidos. Possuídos de amor aos que perecem, encontraremos nosso deleite em seguir as pegadas da Majestade do Céu.

O tempo de graça está para acabar. … Logo terá sido feita a última oração em favor dos pecadores, vertida a última lágrima, dada a última advertência, a última súplica feita, e não mais se ouvirá a doce voz da misericórdia. Por isso é que Satanás está a empregar tão tremendos esforços para prender homens e mulheres em sua cilada. … O inimigo está a jogar a partida da vida com todos. Está atuando para remover de nós tudo que é de natureza espiritual, e em lugar das preciosas graças de Cristo, atravancar nosso coração com os maus traços da natureza carnal: ódio, vis suspeitas, inveja, amor do mundo, amor-próprio, amor dos prazeres, e soberba da vida. Precisamos fortalecer-nos contra o inimigo invasor, que atua com todo o engano da injustiça nos que perecem; pois, a menos que vigiemos e oremos, esses males penetrarão no coração, daí expulsando tudo que é bom.

Quão grande é a responsabilidade colocada sobre os discípulos de Cristo! Quão imperioso o dever de refletir a luz do Céu sobre um mundo envolto em trevas! Quanto mais densa a treva ambiente, tanto mais deve brilhar a luz da fé cristã e do cristão exemplo.

Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais, pág 321.

Por: Weleson Fernandes

Sobre Weleson Fernandes

Avatar
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

Refúgio que nunca falha

Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante …

Como livrar-se da culpa

Quem, ó Deus, é semelhante a Ti, que perdoas a iniqüidade e que Te esqueces …

O Ùnico Caminho Seguro

Quando te desviares para a direita e quando te desviares para a esquerda, os teus …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: