Sermão XXII: VIVER SAUDÁVEL

INTRODUÇÃO

No nosso estudo anterior vimos o conceito bíblico das posses. A Bíblia diz que todas as coisas pertencem a Deus (Sal. 24: 1), mas Ele nos concede bens em confiança. 

Porém, assim como Ele reteve no Jardim do Éden o direito sobre a Árvore da Ciência do Bem e do Mal, ele reclama para Si hoje o dízimo, isto é, a décima parte de todas as nossas rendas, como uma prova de fidelidade a Deus nos nossos bens. 

Assim como os nossos primeiros pais perderam o direito à vida eterna ao apropriarem-se do fruto da árvore que Deus reservara para Si (Gên. 2:17), o dízimo hoje é uma prova relacionada com nossa fidelidade a Deus nos nossos bens materiais, e um teste relacionado com a possibilidade de Deus conceder-nos a vida eterna, novamente.

Mas a Bíblia não menciona apenas os direitos que Deus tem sobre os nossos bens materiais, como também sobre nós mesmos, isto é, sobre a nossa saúde.

É por isso que a Bíblia nos admoesta: – I Cor. 6:19 e 20
E a própria vontade divina é que gozemos boa saúde: III S. João 2

Mas o que devemos fazer para termos boa saúde?

I – O PLANO ORIGINAL DE DEUS PARA O HOMEM


A – A Religião e a Saúde Física
a) Há uma bem conhecida expressão latina que expressa uma grande realidade: “Mente sã em corpo são”.

b) E Ellen G. White acrescenta: “Os nervos do cérebro, que se ligam com o organismo todo, são o intermédio pelo qual o Céu se comunica com o homem e afeta a sua vida íntima. O que quer que estorve a circulação da corrente elétrica no sistema nervoso, debilitando assim as forças vitais e diminuindo a susceptibilidade mental, vem tornar mas difícil o despertar da natureza moral.” (Educação, p. 209)

B – O Regime Alimentar que Deus Prescreveu Originalmente aos Nossos Primeiros Pais

a) Como Deus criara o homem para viver em comunhão com Deus, Ele também prescreveu ao homem um regime alimentar adequado, que proporcionasse maior saúde física e, conseqüentemente, mental e moral:

– Gên. 1:29

– Adão e Eva eram, portanto, vegetarianos – cereais, frutas e verduras.

II – ORIENTAÇÕES BÍBLICAS SOBRE O REGIME ALIMENTAR


A – Quanto ao Uso da Carne

a) Após a destruição do mundo pelo dilúvio, Deus permitiu que os homens comessem a carne de animais (Gên. 9).

a) Porém o próprio Deus deixou também orientações detalhadas sobre os animais a serem usados como alimento para o homem. Estas orientações encontramos em Levítico cap. 11:

1º) Dos animais – os que possuem o casco partido em dois e ruminam: – Lev. 11:2-8

2º) Dos peixes – os que têm escamas e barbatanas: Lev. 11:9-12

3º) Das aves – as que são limpas: Lev. 13-20

– A Bíblia não especifica claramente as características existentes entre as aves limpas e as aves imundas. Porém, das aves imundas podemos destacar em termos gerais que entre estas estão as aves de rapina, as aves noturnas e as aves que possuem hábitos aviltados. (The Pulpit Commentary, vol. 2 – The Book of Leviticus, p. 179).

– Por outro lado, há os que afirmam que a característica distintiva básica das aves limpas seja o terem elas a “moela'[ Porém o mais importante é que não nos afastemos da classificação bíblica.

c) Há aqueles que julgam que essas leis de saúde eram apenas para os judeus; o que não é certo. As leis que Cristo aboliu ao morrer na cruz, foram apenas as cerimoniais, que eram um tipo de sua morte e para ela apontavam. 

Porém em termos de saúde, o que não era saudável aos judeus comerem, também não o é para nós, pois possuímos o organismo e as funções orgânicas semelhantes aos judeus – todos somos igualmente seres humanos!

d) E a Bíblia fala ainda que não devemos usar o sangue como alimento: – Gên. 9:4

– Em parte alguma, porém, a Bíblia condena a transfusão-de-sangue; muito pelo contrário, ela diz que é pelo sangue de Cristo que somos purificados do pecado (I João 1:7) para a salvação.

B – Quanto ao Uso de Bebidas Alcoólicas

a) A Bíblia nos adverte também quanto ao uso de bebidas alcoólicas: – Prov. 23:29-31

b) Ela declara também que nenhum bêbado entrará no reino de Deus: – I Cor. 6:10

c) E ainda que a morte de Cristo é eficaz para nos libertar de tal escravidão: – Heb. 2:15

d) Em quase todos os países, mais de 50% dos acidentes de estradas são produzidos por conseqüências do álcool. Não é necessário, entretanto, que o motorista esteja visivelmente embriagado.

– “O álcool, inclusive em pequenas doses, deprime os centros coordenadores do cérebro e, em conseqüência, retarda sensivelmente as reações normais do motorista esperto. 

De modo que, apesar de sua lucidez mental aparente e de sua habilidade no volante, o motorista que bebeu álcool demora muito além do normal em atuar ante circunstâncias imprevistas. Isto é a causa constante de numerosos e graves acidentes de trânsito.” (Daniel Belvedere, 64 Conferências Públicas, p. 231)

C – Quanto ao Fumo

a) Muito embora durante o período bíblico não há referência a pessoas fumantes, razão pela qual a Bíblia não menciona especificamente este caso; não podemos conceber a idéia de um genuíno cristão, que procura preservar a saúde física do seu corpo de acordo com a orientação bíblica, usar o fumo, que é cientificamente comprovado como sendo muito prejudicial à saúde.

D – Devemos Usar o que é Bom

a) A Bíblia recomenda ainda que devemos comer o que faz bem:
– Isa. 55:2

b) E o apóstolo S. Paulo aconselha: – Rom. 14:21

c) Muito embora a Bíblia não proíba o uso da carne (de animais limpos), é aconselhável o regime vegetariano bem equilibrado, devido aos grandes benefícios para a saúde.

d) A revista Seleções do Reader’s Digest, de Abril de 1983, assim se expressa: “Os Adventistas do Sétimo Dia que vivem na Califórnia registram um índice de cânceres de cólon e de reto muito mais baixo do que os outros norte-americanos. . . . Tudo isto pode estar relacionado com a nutrição: muitos dos Adventistas do Sétimo Dia são vegetarianos.. . .” (p. 43)

e) Porém, para sermos vegetarianos, é necessário equilibrarmos de uma maneira bem substancial o nosso regime alimentar.

III – ORIENTAÇÕES ADICIONAIS PARA UM VIVER SAUDÁVEL


A – Abandonar toda Impureza

a) A Bíblia condena toda a impureza, bem como a imoralidade em todas as suas formas: – I Cor. 6:18-20

B – Cultivar Pensamentos Nobres

a) Provérbios diz que o homem “é tal qual são seus pensamentos” (Prov. 23:7, Trad. Brasileira). E, para vivermos uma vida saudável, é necessário também que cultivemos bons pensamentos.

b) E o apóstolo S. Paulo nos orienta no que devemos pensar: – Filip. 4:8

C – Refrear Nossa Língua

a) Cristo declarou que “a boca fala do que está cheio o coração” (Mat. 12:34). Portanto o nosso falar evidencia a nossa situação espiritual em grande parte.

b) A Bíblia condena, portanto:

1º) A impudicícia, isto é, a falta de pudor no falar, a conversação torpe e as palavras vãs (Efés. 5:3 e 4).

2º) Os falatórios inúteis e profanos (II Tim. 2:16), porque “as más conversações corrompem os bons costumes” (1 Cor. 15:33).

c) É por «se motivo que o apóstolo S. Pedro nos aconselha:
– I Pe. 2:1

d) E diríamos ainda que a crítica é um dos maiores males que há. As nossas palavras são como penas lançadas ao ar que jamais podem ser recolhidas. E Cristo nos deixa uma série advertência a esse respeito: – Mat. 12:36 e 37

ILUSTRAÇÃO


“Certo dia um homem, muito agitado, apresentou-se a Sócrates, o célebre filósofo antigo, e disse-lhe:

‘Ouve, Sócrates, tenho, como teu amigo, alguma coisa para dizer-te. ‘Espera!’ interrompeu o sábio. ‘O que me vais dizer passaste pelos três coadores?’ ‘Três coadores!’ perguntou o outro, admirado.

– ‘Sim, amigo, três coadores. Vejamos se o que tens para dizer-me passou por eles. O primeira coador é o coador da verdade. Tens certeza de que é verdadeiro o que me vais dizer?’

Assegurar não posso. Ouvi dizer, e. . .’ ‘Bem, bem. Certamente o fizeste passar pelo segundo coador: o da bondade. Ainda que não seja verdadeiro, será pelo menos bom o que me queres dizer?’

Titubeando replicou o outro: ‘Não, pelo contrário. . .’

‘Ah!’ interrompeu o sábio. ‘Procuremos então passar pelo terceiro coador, e vejamos se é útil o que tanto te agita.’

‘Útil?’ tornou o amigo, já impaciente e vexado. ‘Não, é.

‘Bem, disse Sócrates sorrindo: se o que me tens a dizer não é verdadeiro, nem bom, nem útil, esqueçamos a caso e não te preocupes com ele mais do que eu.’ ” (D. Peixoto da Silva, Quinhentas Ilustrações Escolhidas, pág. 129).

a) Como verdadeiros cristãos, devemos deixar de criticar os outros e ajudar àqueles que possuem o hábito de criticar os outros, a não mais assim fazerem.

D – Cultivar o Domínio Próprio

a) Devemos também esforçar-nos em cultivar o domínio próprio (II Ped. 1:6).
E – Ser Alegres

a) Para que desfrutemos de um viver saudável, é necessário que cultivemos também a alegria cristã:

b) O sábio Salomão declara: – Prov. 17:22

c) Ellen G. White acrescenta: “Muito íntima é a relação que existe entre a mente e o corpo. Quando um é afetado, o outro se ressente. O estado da mente atua muito mais na saúde do que muitos julgam. 

Muitas das doenças sofridas pelos homens são resultado de depressão mental. Desgosto, ansiedade, descontentamento, remorso, culpa, desconfiança, todos tendem a consumir as forças vitais, e a convidar a decadência e a morte. 

O ânimo, a esperança, a fé, a simpatia e o amor promovem a saúde e prolongam a vida. Um espírito contente, animado, é saúde para o corpo e força para a alma.” (A Ciência do Bom Viver, p. 241).

d) É por esse motivo que o apóstolo S. Paulo nos aconselha com insistência a sempre nos alegrarmos no Senhor: – Filip. 4:4

CONCLUSÃO


A Bíblia declara que o cuidado do corpo é uma questão de salvação ou perdição: – I Cor. 3:16 e 17

E ainda, que tudo o que fizermos, inclusive no comer e no beber, deve ser feito para a glória de Deus: – I Cor.10:31

Portanto, é de suma importância que cuidemos da nossa saúde como um todo nos seus três aspectos: físico, mental e espiritual. Em resumo tudo o que temos e somos deve servir para a glória de Deus e para promover um viver saudável.
Se seguirmos as orientações divinas contidas em Sua Palavra, a promessa é: – Êxo. 23:25

 

Clique para abrir a lista com todos os SERMÕES DOUTRINÁRIOS AQUI.

 
 
 

 

Sobre Weleson Fernandes

Weleson Fernandes
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

A IMORTALIDADE DA ALMA

  INTRODUÇÃO: Gên. 3:4.1. ” Mediante os dois grandes erros – a imortalidade da alma …

A ATRAÇÃO DA CRUZ DE CRISTO

  INTRODUÇÃO: Os méritos da cruz de Cristo oferecidos aos pecadores. 1. Completa a eterna …

A MISSÃO DA IGREJA

  INTRODUÇÃO: S. Mat. 28:19-20 1. “A igreja foi organizada para servir, e sua missão …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: