Home / Entretenimento Cristão / Satanás ataca a masculinidade para destruir a família e a sociedade, alerta pastor

Satanás ataca a masculinidade para destruir a família e a sociedade, alerta pastor

Satanás está determinado a minar os homens, destruir seus papéis dados por Deus e redefinir o conceito bíblico de masculinidade, porque ele quer ver a família se desintegrar e a sociedade desmoronar. Essa avaliação foi feita por um influente pastor norte-americano.

“O que estamos vendo, e continuaremos a ver, é a dizimação da família, porque o homem é a base da família e a família é a base da sociedade”, advertiu o pastor Tony Evans, fundador e pastor sênior da Oak Cliff Bible Fellowship em Dallas, Texas (EUA).

Em entrevista ao portal The Christian Post, o pastor enfatizou que se alguém quiser “desmantelar a família e a sociedade, a melhor maneira é se livrar dos homens cumprindo seus papéis”.

“Nos dias de Moisés e nos dias de Jesus, eles mataram todos os homens porque queriam controlar o que estava acontecendo em uma comunidade […] Então, o que o inimigo está fazendo é tentar se livrar dos machos psicologicamente, emocionalmente e funcionalmente, e é isso que a cultura está fazendo atualmente”, acrescentou.

Evans, que também é fundador e presidente da The Urban Alternative, apontou que na comunidade negra, por exemplo, quase 70% das crianças nascem de mães solteiras, o que significa que a maioria das crianças é criada sem uma influência masculina positiva. “Então, você está à beira do desastre como uma comunidade”, disse ele. “Não porque as mulheres não sejam ótimas, mas você pediu que elas fizessem mais do que aquilo que elas foram criadas para fazer. Então, voltar à visão correta do casamento e uma visão correta da família é fundamental, e isso começa com a visão correta do homem”.

O pastor, que também atua como capelão do time de basquete Dallas Mavericks na NBA, explicou que a razão por trás do atual ataque à masculinidade é dupla: “Primeiro de tudo, os homens falharam em ser os homens que Deus quer que eles sejam, o que abriu uma lacuna que foi preenchida com uma redefinição de masculinidade e ataques contra os homens”, avaliou. “Então, é em parte devido ao fracasso dos homens”.

“A outra coisa que está acontecendo […] é a mudança de cultura que criou parte dessa redefinição e fez com que os homens abandonassem seus papéis, ‘emburrecessem’ e rejeitassem seus papéis. Portanto, há um ambiente tóxico contra a masculinidade, mas infelizmente contribuímos para isso”, acrescentou, fazendo referência à cultura secular moldada sob os conceitos do progressismo.

Em sua jornada ministerial, Evans – produtor do Kingdom Men Rising, um filme que procura ajudar os homens a entender a definição bíblica de masculinidade e equipá-los para se tornarem quem Deus os criou para ser – produziu dois livros, intitulados Kingdom Man e No More Excuses, onde ele examina em profundidade o estado atual da masculinidade antes de examinar o que Deus exige dos homens.

Kingdom Men Rising contará com ex-comentarista de TV Tony Dungy; o ex-jogador da NFL Jon Kitna; ex-vencedor do Heisman Trophy, Tim Brown; o cantor e músico Kirk Franklin; o executivo da NFL Troy Vincent; Jonathan e Anthony Evans e Priscilla Shirer e Chrystal Evans Hurst (os quatro filhos do pastor); e um sobrinho de Evans, Jonathan Pitts.

Na entrevista, Tony Evans definiu um “homem do Reino” como aquele que está “consistentemente operando sob o governo de Deus em sua vida”: “Deus pode anulá-lo, porque se Deus nunca pode anulá-lo, então ele nunca poderá se tornar um homem bíblico. Então, o que queremos fazer é mostrar como isso se encaixa em sua vida pessoal, em sua família, em sua vida na igreja e em sua vida cívica dentro das esferas do arranjo de aliança com Deus. Mostramos que diferença faz quando opera dentro dessas esferas”.

“Esta é uma oportunidade para chamar os homens de volta ao que Deus queria para os homens quando os criou”, acrescentou, o pastor, enfatizando que a sociedade contemporânea está confusa sobre a verdadeira definição de masculinidade, e a existência de rótulos como “masculinidade tóxica”, traduz bem o estado atual e pobre da masculinidade.

“Há dois lados nisso”, explicou ele. “As pessoas sentem que os homens são opressivos para as mulheres e, até certo ponto, isso é verdade. São mulheres que querem se libertar do efeito tóxico dessa pressão negativa. Mas, do outro lado, os homens receberam informações erradas sobre a masculinidade da televisão, da mídia, da música, de modo que estão fazendo o melhor que sabem”, disse o pastor.

“Então temos que fornecer a eles novos conhecimentos e novas definições. Nós vamos ter que pedir ao sexo oposto para encorajar essa definição correta ao invés de jogar fora o bebê com a água do banho”, pontuou, citando um ditado popular nos Estados Unidos.

O filme Kingdom Men Rising é voltado principalmente para os homens, mas Tony Evans encorajou as esposas e mães a participarem para “reforçar” os princípios apresentados no filme: “A maior coisa que uma mulher pode dizer a um homem é: ‘quanto mais você é assim, mais eu quero me submeter a você’, porque agora você está alimentando a autoestima. As damas querem que seus corações sejam tocados e os homens querem que suas cabeças sejam tocadas”.

No mesmo raciocínio, o Evans lamenta que o termo “submissão” tenha sido mal utilizado. “Da mesma forma que Jesus teve que se submeter a Deus o Pai, todo homem tem que se submeter ao Senhorio de Jesus Cristo. Então o que ele está pedindo à esposa, ele deveria estar se modelando. O problema é que muitos homens que não o fazem querem exigir submissão, e isso cria um problema”.

Até que a masculinidade seja adequadamente definida, a cultura não pode ser salva, opinou o pastor, antes de encorajar os homens que entendem a verdadeira definição de masculinidade para orientar outros homens, ensinando-os a se tornarem quem Deus os criou para ser. Ele apontou para Atos 3, onde Pedro e João, dois dos discípulos de Jesus, curaram um homem que estava paralítico desde o nascimento.

“Se você é um homem coxo, precisa de alguns homens em sua vida para ajudá-lo”, enfatizou. “Se você não é um homem coxo, você precisa estar ajudando outra pessoa”.

Kingdom Men Rising será exibido nos cinemas dos Estados Unidos nos dias 29 e 30 de abril, e logo em seguida, um estudo bíblico homônimo ao livro No More Escuses será lançado. Com seu trabalho de valorização da masculinidade a partir dos conceitos bíblicos, Evans foi homenageado recentemente com o Prêmio NJ da Convenção Internacional de Mídia Cristã NRB, que prestigia os membros que tenham feito “uma contribuição inestimável ao campo das comunicações cristãs, exibição dos mais altos padrões e evidência de fidelidade em Cristo”.

Sobre weleson fernandes

Verificar também

Mulher criada por pais gays publica livro sobre o mal de ser privada de uma mãe

Após o lançamento do livro, dezenas de pessoas que foram criadas por casais LGBT entraram …

Deixe uma resposta

× Deixe um recado
%d blogueiros gostam disto: