A Música Sacra de “Ontem” – Bom Exemplo para “Hoje”

Durante os tempos bíblicos, a música desempenhou um papel de mui grande importância no culto. Ao examinarmos as escrituras, somos informados a respeito do progresso extraordinário que eles alcançaram.

Qual foi o alcance do programa musical nos tempos bíblicos? Terá sido esse programa bem contrabalançado, proporcionando ao povo o máximo de participação? Por que foram possíveis tais, impressionantes cultos religiosos? Como foi que mantiveram essa eficiência tão poderosa? De várias passagens das Escrituras mencionadas, diversas razões se destacam de modo significativo.

1) Os músicos estavam preparados tanto espiritual como mentalmente. Eles haviam experimentado a cada dia a chamada de Deus para assumirem suas responsabilidades. Criam que esta chamada era digna daquilo que possuíam de melhor. Oravam diariamente, pela direção e força sustentadora, de Deus, no desempenho dos seus deveres.

2) As vestimentas eram importantes. Os coros vestiam-se de branco como que para darem uma aparência de uniformidade. Diversas referências podem ser encontradas nas Escrituras – importante – e afirmando que usavam uniformes. Evidentemente, os líderes consideravam a aparência de grande importância no ministério da música nos cultos do templo.

3) Nenhuma referencia encontramos que indique atitude de ciúmes ou de desacordo. Eles, sem dúvida, se uniam num espírito de cooperação. Seus melhores esforços se concentravam num espírito de união “para fazer música com o fim de louvar e dar graças ao Senhor”.

4) Primeiramente, eles eram selecionados e, em seguida, preparados e treinados para sua tarefa. Requeria-se que os músicos fossem treinados através de um período de treinamento intensivo, a fim de que os cultos pudessem tanto refletir qualidade como espontaneidade.

5) Em todos os tempos, as necessidades do povo sempre tiveram o primeiro lugar. O programa musical era projetado e planejado de tal maneira a satisfazer a estas necessidades. Não somente era seu objetivo criar alguma coisa bela para o povo ouvir, mas também induzir a congregação a tomar parte mais ativa nos cultos.

6) Os cultos que promoviam eram atraentes; procuravam tanto ter unidade como variedade. Pelas referências das Escrituras, não se pode imaginar que os cultos do templo fossem monótonos. Os líderes musicais aplicavam sua atenção ao uso de combinações vocais e instrumentais, que criariam interesse e acrescentariam dignidade aos cultos de louvor.

A música sacra é uma sublime vocação. É um ministério a ser introduzido num espírito de devoção e consagração.

A música sacra eficaz exige o melhor que cada musicista pode dar. Requer dedicação de talento, tempo e treinamento. Ela pode tomar o seu lugar acertado como um grande meio de ensino e treinamento, tendo como alvo ganhar os perdidos e edificar os redimidos.

É Deus anunciando através das vozes e talentos de homens e mulheres, sua mensagem de esperança e luz. Que todos dêem suas aptidões à Ele em serviço amoroso e dedicado, Que ninguém seja culpado de enterrar seus talentos dados por Deus.


Fonte: Publicado originalmente em http://www.alexpiano.com/musicasacra.htm

Sobre Weleson Fernandes

Avatar
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

Música Cristã Contemporânea x Adoração

Em um ensaio anterior, intitulado “As Duas Principais Armas do Cristão e Como Satanás Está Trabalhando …

Música: do Divino ao Maligno

Entre as perguntas que Deus fez a Jó, registradas nesse livro, que é o mais …

Música Cristã: Os Fins, Os Meios e A Missão

Na dinâmica do mundo moderno há uma pergunta sempre recorrente: como tornar o evangelho de …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: