Cristo exemplificou a lei de Deus

Então disse: Eis aqui venho; no rolo do livro está escrito de Mim: Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração. Salmos 40:7, 8.

Nos concílios do Céu foi determinado que devia ser dada à humanidade uma viva exemplificação da lei. Havendo resolvido fazer esse grande sacrifício, Deus não deixou coisa nenhuma obscura, coisa alguma indefinida, no tocante à salvação humana. Deu Ele à humanidade uma norma para formação do caráter. Com voz audível e em meio a manifestações de majestosa grandeza, pronunciou Ele a lei, do Monte Sinai. Declarou distintamente o que devemos fazer a fim de Lhe prestar obediência aceitável, e o que fazer para permanecermos leais a Sua lei. “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” Mateus 22:37-40.

Tão profundo era o interesse do Senhor nos seres que criara, tão grande Seu amor pelo mundo, que Ele “deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. João 3:16. Cristo veio para conceder ao homem poder moral, para o elevar, enobrecer e fortalecer, habilitando-o a ser participante da natureza divina, tendo escapado da corrupção que pela concupiscência há no mundo. Provou Ele aos habitantes dos mundos não caídos, e aos seres humanos, que a lei pode ser guardada. Conquanto possuísse a natureza do homem, obedeceu Ele à lei de Deus, vindicando a justiça divina ao exigir que ela fosse obedecida. No juízo a Sua vida será um argumento irrefutável em favor da lei de Deus.

Todos os que possuem a faculdade do raciocínio podem saber a medida do seu dever. Cristo é nosso Modelo. Revestido de humanidade, viveu Ele uma vida imaculada. Era misericordioso, compassivo, obediente — cheio de bondade e verdade. Por Sua vida de obediência, deu uma verdadeira representação da lei. Unindo-se a Cristo, os caídos e pecaminosos seres humanos podem harmonizar a vida aos preceitos divinos. Guardando os mandamentos de Deus, tornam-se coobreiros dAquele que veio ao mundo para representar o Pai mediante o guardar todos os Seus mandamentos.

Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais, pág 34.

Sobre Weleson Fernandes

Weleson Fernandes
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

Sermão XIV: O DIA DO SENHOR

No nosso estudo anterior analisamos rapidamente o significado de cada mandamento do Decálogo, que é a lei do tribunal do Céu; e nesta oportunidade consideraremos mais detidamente a origem, a natureza e o significado do 4º mandamento da Lei divina, que ordena observância do sábado do 7º dia da semana

Sermão XIII: A LEI DO TRIBUNAL DO CÉU

Nos nossos dois últimos estudos analisamos alguns aspectos do grande Juízo Investigativo, que iniciou no santuário celestial em 1844, ao término dos 2.300 anos de Dan. 8:14, e que dentro em breve será concluído, quando a porta da graça fechar-se-á, ao Cristo depor Suas vestes sacerdotais

Meditação do Por do Sol – Eu Escolho Servir – PDF

A recepção do sábado na vida do cristão não deve envolver apenas um frio cumprimento …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: