2 – RESULTADO DO PECADO x PENALIDADE DO PECADO

Antes que possamos entender o que realmente é o pecado em nossa experiência pessoal, precisamos parar para analisar o que aconteceu quando Adão e Eva pecaram no começo da história deste mundo. 

O que Deus fez nessa emergência, quando todos os planos de Deus para a raça humana foram alterados pelas escolhas de Seus primeiros seres criados? 

Qual foi a penalidade pelo pecado deles? 

 

 

“Da árvore do conhecimento do bem e do mal, não comerás disto: porque no dia em que tu comeres, certamente morrerás.”

– Gênesis 2:17 

(A) _____ Eles sofreriam dor. 

(B) _____ Eles viveriam vidas longas. 

(C) _____ Morte imediata. 

Este é um verso intrigante, porque sabemos que Adão e Eva não morreram imediatamente. Deus foi muito claro que a morte imediata seria a penalidade por sua desobediência. 

Por que Adão e Eva não morreram imediatamente?

 

 

“… o Cordeiro morto desde a fundação do mundo.”

– Apocalipse 13: 8 

(A) _____ Deus esqueceu o que havia dito. 

(B) _____ A morte de Jesus salvou o homem da morte imediata. 

(C) _____ Deus mudou de ideia sobre a penalidade do pecado. 

Adão e Eva não morreram no dia em que pecaram porque o Substituto foi apresentado entre a pena de morte e Adão naquele mesmo dia. Jesus Cristo tomou o lugar de Adão, e pessoalmente pagou a penalidade pelo pecado de Adão morrendo Cruz. 

Há um notável vislumbre sobre o que aconteceu no Jardim do Éden nos seguintes comentários: 

“Por que a pena de morte não foi imediatamente aplicada em seu caso? Porque um resgate foi encontrado. O Filho unigênito de Deus se ofereceu para tomar o pecado do homem sobre si mesmo, e fazer expiação pela raça caída. 

No mesmo instante em que o homem aceitou as tentações de Satanás, fez as mesmas coisas que Deus disse que não deveria fazer, Cristo, o Filho de Deus, ficou entre os vivos e os mortos, dizendo: ‘Deixe o castigo cair sobre Mim. Eu ficarei no lugar do homem. 

Ele terá outra chance ‘… Assim que houve pecado, houve um Salvador… Assim que Adão pecou, o Filho de Deus se apresentou como garantia para a raça humana, com tanto poder para evitar a desgraça pronunciada sobre o culpado quanto quando Ele morreu na cruz do Calvário.” S.D.A. Bible Commentary, vol. 1, pp.1082-1085. 

O que aprendemos é que a morte expiatória de Jesus afetou diretamente Adão e Eva e toda a raça humana. Jesus pagou a penalidade pelo pecado de Adão, exatamente como especificado em Gênesis 2:17. 

Ao fazer isso, Jesus deu a Adão e Eva e ao ser humano uma nova chance para que pudessem tomar decisões diferentes sobre obediência e desobediência. O sofrimento e a morte posterior experimentados por Adão e todos nós foi o resultado do pecado, e não a penalidade do pecado. 

A penalidade foi paga por Jesus Cristo. Adão logo ofereceu um sacrifício de cordeiro, mostrando que ele entendia que a pena de morte foi paga. Mas o resultado do pecado (a maldição do pecado) tem feito parte da existência humana até hoje. 

Toda morte significa culpa? 

 

“E, NAQUELE mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus, cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios. E, respondendo Jesus, disse-lhes: Pensais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas? Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis. Ou aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém? Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.”

– Lucas 13: 1-5 

(A) _____ Eles morreram por causa de seus pecados pessoais. 

(B) _____ Eles morreram porque eram piores que todos os outros. 

(C) _____ Eles morreram porque viviam em um mundo amaldiçoado pelo pecado. 

Aqui vemos que a morte não foi o resultado direto de seus pecados pessoais. Eles não eram mais culpados do que outros. A morte que eles morreram não foi a penalidade do pecado, mas o resultado do pecado, que afetou todos os que viveram nesta terra. 

O sofrimento significa culpa? 

 

“E passando Jesus, viu um homem cego de nascença. Perguntaram-lhe os seus discípulos: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus.”  

– João 9: 1-3

(A) _____ O homem era cego por causa de um mundo amaldiçoado pelo pecado. 

(B) _____ O homem era cego por causa do pecado de seus pais. 

(C) _____ O homem era cego porque pecou antes de seu nascimento. 

Jesus está dizendo que a cegueira não é a penalidade do pecado, mas é o resultado da maldição repousando pesadamente sobre a terra e a raça humana. Existe uma clara distinção entre a penalidade do pecado e o resultado do pecado. 

Quando podemos ter vida eterna? 

 

“Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida. Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão.”

– João 5: 24,25. 

Temos vida eterna quando ______________ em Jesus. 

Observe que temos vida eterna quando cremos, o que pode ser hoje. No entanto, mesmo para aqueles que acreditam hoje e têm vida eterna, eles ainda vão morrer e precisarão ser ressuscitados dentre os mortos na segunda vinda de Cristo. 

Aqui temos uma clara distinção entre a primeira morte, que Jesus chamou de sono, e a segunda morte, da qual não há ressurreição. A primeira morte é o resultado de um pecado que permeia esta terra, enquanto a segunda morte é a penalidade pelo pecado. 

Enquanto nós não podemos escapar dos resultados do pecado, podemos escapar da penalidade pelo pecado crendo em Deus. Isso significa que podemos possuir a vida eterna, mesmo quando devemos morrer a primeira morte. Assim, a primeira morte (e todo sofrimento) não pode ser a penalidade pelo pecado. 

Simplificando, a vida eterna significa que não passaremos pela segunda morte, que é a penalidade pelo pecado. Para um estudo mais aprofundado, leia 1 João 5:12,13. 

Conclusão 

Isso significa que devemos dividir a ideia básica do pecado em duas partes separadas – mal e culpa. 

O mal inclui todas as coisas que inerentemente resultam do pecado, que inclui sofrimento e morte. A culpa inclui condenação e a segunda morte. Portanto, temos duas consequências diferentes do pecado de Adão. Temos a maldição – os resultados inerentes do pecado – que seres humanos, animais e toda a natureza experimentam e que leva à primeira morte. Também temos a culpa, que apenas os seres humanos experimentam e que leva à segunda morte. 

Agora, note que a expiação de Cristo cobre essas duas consequências do pecado, porém de formas diferentes. A expiação deve lidar com a culpa, perdoando-a; já com os resultados do mal, a expiação lida recriando e restaurando o que a maldição do pecado fez. 

Complementando, o perdão pode ser nosso hoje, enquanto a recriação deve esperar até o segundo advento. O perdão não é necessário para os resultados do pecado, mas apenas para a culpa do pecado. Assim, os termos perdão, justificação, justiça, santificação, salvação, e o evangelho se aplicam particularmente à culpa e penalidade do pecado. 

Existe uma diferença fundamental entre o resultado do pecado e a penalidade do pecado. Nós não somos culpados, condenados ou perdidos por termos nascido em um mundo pecaminoso. Sim, sofremos com os muitos resultados do pecado de Adão, incluindo defeitos físicos e uma natureza decaída. Mas este não é o pecado pelo qual somos culpados ou condenados. 

O pecado pelo qual estaremos perdidos eternamente vem de outra coisa, que será o assunto de nosso próximo estudo. É por isso que ao mesmo tempo que não há culpa aplicada a um gato que tortura um rato até a morte, consideramos um ser humano culpado por torturar alguém. 

O gato está simplesmente seguindo seus instintos – sua natureza decaída – sem nenhum conhecimento do certo e do errado, enquanto os seres humanos podem ser considerados culpados por causa de uma escolha consciente de fazer o que é errado. 

Todos os animais e seres humanos sofrem por causa dos resultados do pecado, mas eles não são condenados automaticamente por causa desses resultados. A culpa se aplica apenas à moral responsabilidade pelas escolhas feitas. A culpa exige conhecimento prévio e intencional rebelião.


CLIQUE AQUI para acessar o índice com todas as 16 lições.

Sobre Weleson Fernandes

Avatar
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

A IMORTALIDADE DA ALMA

  INTRODUÇÃO: Gên. 3:4.1. ” Mediante os dois grandes erros – a imortalidade da alma …

A ATRAÇÃO DA CRUZ DE CRISTO

  INTRODUÇÃO: Os méritos da cruz de Cristo oferecidos aos pecadores. 1. Completa a eterna …

A MISSÃO DA IGREJA

  INTRODUÇÃO: S. Mat. 28:19-20 1. “A igreja foi organizada para servir, e sua missão …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: