O que Ellen White diz sobre o jogo de Xadrez, Cartas Damas e Dominó

 

Há muitas consultas com relação de qual seja a atitude da senhora White diante dos jogos de damas, xadrez, cartas e dominó. Com respeito ao dominó, não há nenhuma referência a este jogo nos escritos de Ellen White. Por esta razão se crer que o jogo de dominó tem sido sempre considerado entre nós como uma recreação bem simples e inofensiva.

A questão da dama é um pouco mais complicada, porque este jogo também tem a aparência de um jogo simples, um jogo de habilidade. Creio que o mesmo pode dizer-se do xadrez. Ao buscar o Comprehensive Index, encontramos esta expressão “jogo de damas”.

“Há diversões tais como dançar, jogar cartas, xadrez, damas, etc., que não podemos aprovar, pois que o Céu as condena. Esses divertimentos abrem a porta para grandes males. 

Não são benéficos em sua tendência, e têm uma influência estimulante, produzindo em alguns espíritos uma paixão por esses jogos que levam ao jogo de azar e dissipação. Todos esses jogos devem ser condenados pelos cristãos, e substituídos, por algo perfeitamente inofensivo”. Testimonies, vol. 1, pág. 514. 

“Cérebro excitado e cansado por” IT 555 

“Influência excitante de” IT 514

“Deus o condena” IT 514

“Recuperação da saúde obstruída por” IT

ANÁLISE


Na realidade nas declarações da pena inspirada de E. White sobre este tema, ambas parecidas. Em ambos os casos as damas e o xadrez são mencionados conjuntamente.

Em nossos estudos devemos ser muitos cuidadosos no tentar explicar e interpretar os escritos do espírito de profecia. É nosso privilégio destacar alguns pontos sobre os quais parece colocar ênfase. A primeira declaração com respeito as damas se encontra no artigo  “Recreação do Cristão” aparece em Testemonies, Vol. 1, pág, 514. 

A senhora White discute certas classes de entretenimentos ao falar de recreação. Dentro de uma categoria estar àquelas coisas que são nocivas. Em outras, estão aquelas que são inofensivas, e devemos substituir as que são prejudiciais.

Ao mencionar as damas e o xadrez, Ellen White indica que estas diversões abrem a porta a um grande mal. Produz “em algumas mentes uma paixão por este jogos que levam a jogar por dinheiro e a dissipação”. Não nos proporciona isto uma guia? Eu creio que sim. 

Há certas coisas que em si mesmo podem não ser prejudiciais,  mas, podem abrir as portas para outras cousas, e me dão a imprecaução que estas é categoria em que E. G. White coloca as damas, o xadrez, etc.

A segunda declaração sobre as damas, que aparece no Testimonies, Vol. 1, p.555, foi publicado originalmente no mesmo panfleto que a declaração anterior, no capítulo sobre “A recreação do Cristão”. 

Assim são da mesma época. Nesta segunda referência, Ellen White se refere ao Instituto de Saúde. Observará que faz referência a visão que lhe foi dada em 25 de Dezembro.  

Ela e seu esposo acabavam de estar na instituição médica de Dansville, Nueva York, dirigida pelo Dr. Jackson. O Dr. Jakson teria muitas coisa boas para oferecer, porém foi a um extremo a pressionar a seus pacientes a que se abstivessem de pensar em coisa serias e religiosas, e que se ocupassem em certos entretenimentos como uma ajuda na recuperação da saúde. O baile era uma prática habitual. 

Esta característica da filosofia do Dr. Jackson foi contrastada, na visão  que recebeu E. White, com os princípios verdadeiros que tem que ver com a recuperação da saúde, com o uso da mente, e com a forma em que homens e mulheres podem fazer o melhor progresso para um desenrolo completo. Foi em relação a isto que Sra. White escreveu:

“A posição do Dr. E. Jackson concernente as diversões está equivocada, e que seus pontos de vista sobre o exercício físico não são totalmente corretos. As diversões que é recomendada obstruem a recuperação da saúde em muitos casos por aquele que trata de ajudar. 

Eu condeno em grande medida o trabalho físico para os enfermos, e sua incensasse em muitos casos tem demostrado ser muito prejudicial para eles. Um exercício mental como o que se requer para jogar as cartas, o xadrez e as damas excita e esgota o cérebro e obstrui a recuperação”. Testimonies, Vol. 1, pág.555

Retornando agora ao capitulo sobre recreação, notará que Ellen White pontualisa, que há certas coisas que não são benéficas em suas tendências, sendo que tem influência excitante, e acerca delas comenta: “todos esses jogos deveriam ser condenados pelos cristãos e substituídos por algo perfeitamente inofensivo” (pág. 514). isto nos dá uma considerável amplitude, continua…

Penso que devemos nos aprofundar no significado que encontra-se nestes princípios. 

Um cristão vive por princípios. Há algumas igreja a onde a gente não necessita pensar. Não tem que fazer decisões. Se Deus indica desde o alto o que devem ou não devem fazer, e em circunstancias especiais podem conseguir permissão do sacerdote para fazer aquilo que a igreja em geral proíbe. Isto não sucede com a igreja adventista do Sétimo Dia. 

Nunca foi dado o Espírito de Profecia para tomar o lugar da fé, o estudo, a iniciativa, o trabalho diligente. Estes apenas iluminam o caminho. Mostra-nos alguns perigos. Põe diante de nós alguns princípios, mas, deveria ser nós quem os encontrasse mediante estudo.  

E estes princípios deveríamos neste caso permitir que girasse em torno  de nós de forma decisiva e determinada em nossas atividades de modo que imprimamos sobre nossa vidas.

Quando E. White escreveu sobre recreação, sempre se referiu à verdadeira recreação. O estudo destes princípios é um desafio para nós. Quando nos encontramos com alguns problemas como o jogo de damas, e o que ela disse acerca do mesmo, alguns conselhos podem parecer ilógicos, mas à medida que nos aprofundamos em suas explicações vemos sua importância, e o cristão sempre se esforçará por moldar sua vida na direção do ideal. 

Eu não consideraria necessariamente um pecado jogar, em certas circunstâncias, uma partida de damas. Pois creio que este conselho deveria guiar-nos ao tratar de encontra diversões que constituam uma melhor forma de recreação. Sempre há sentido que há um benefício para nós quando oramos nessa direção.

CONSELHOS ACERCA DE JOGOS 


Em seus escritos publicados a Sra. E. White sugeri alguns princípios para  guiar o cristão em sua compreensão do que constitui uma vida vitoriosa. A vida inclui recreação tanto como trabalho, e se esperar e deseja que se sugira princípios saudáveis e sábios para guiar-nos na eleição do mais alto nível de trabalho e jogo.

Quando o espírito de profecia aconselha aos cristãos que se apartem de coisa tais como damas e xadrez que são aparentemente tão inofensivas, observamos que a Sra. White simplesmente se estremece ante os resultados que estes jogos geralmente conduzem. 

Esses assim chamados de entretenimentos tão inocentes, na realidade são prejudiciais, pois, desenrola o apetite por entretenimento mais excitante e se perde o gosto pela realidade da vida como o trabalho útil, os negócios, os estudos escolares etc. 

Há uma filosofia da historia da igreja que trata acerca do jogo da vida e como os homens e as mulheres o estão jogando através do século. Também há uma filosofia do jogo como tal. E são este os jogos que frequentemente fazem que o jogo da vida seja o mais grande e importante e seja mais difícil de jogar e mais dificultoso de ganhar.

Uma filosofia básica e reveladora, aplicada a todos os jogos, aparece claramente estabelecida, o espírito de profecia cita o que acabamos de nos referir. A Sra. White escreveu de “objetos, práticas, e prazeres que não parecem ruins, mas, que se distanciam muito de ser bons. Desviam a vida, de seus mais nobres propósitos”. Note a palavra “desviam”. 

No jogo da vida, satanás joga de um lado e usa das diversas técnicas para distrair e desviar. Estas diversões destroem a atenção dos verdadeiros propósitos e objetivos da vida e assim servem para apartar de seu curso o barco da vida, levando-o as águas perigosas. No livro Educação, p.210, a Sra White estabelece princípios que tem que ver com certos esportes populares.

“Alguns dos mais populares divertimentos, tais como o futebol americano e o boxe, se têm tornado escolas de brutalidade”. Estão desenvolvendo as mesmas características que desenvolviam os jogos na antiga Roma. O amor ao domínio, o orgulho da mera força bruta, o descaso da vida, estão exercendo sobre a juventude um poder desmoralizador que nos aterra.

Outros jogos atléticos, embora não tão embrutecedores, são pouco menos reprováveis, por causa do excesso com que são praticados. Estimulam o amor ao prazer, alimentando assim o desinteresse pelo trabalho útil, a disposição de evitar os deveres práticos e as responsabilidades. Tendem a destruir a graça”. Educação. Pág,210

 A declaração anterior é uma declaração inspirada. Se a lermos cuidadosamente e sem prejuízos, nos contestará muitas perguntas. O princípio estabelecido aqui se aplica por suposto a jogos atléticos, desde o futebol e o box até os jogos atléticos menos agressivos. Mas em grau menor, o princípio estabelecido aqui se aplica a jogos de mesa tais como xadrez etc.  

Note os pontos mencionados:

1) “se praticar com excesso”

2) “Estimulam o amor ao prazer e a excitação”

3) “aumenta o desinteresse pelo trabalho”

4) “Disposição de evitar os deveres práticos”

5) “tendem a destruir o gosto pela realidade sérias da vida e suas possíveis satisfação”

6) “Assim se abre a porta a dissipação e ilegalidades, com seus terríveis resultados”.

Temos o exemplo do jovem que jogava xadrez desde o por do sol de sábado a noite, que ia até as três horas da manhã seguinte. Aqui podemos ver o comprimento da declaração da Sra. White, “o excesso a qual é levado”. 

Isto não requer que pode haver alguma mal inerente em mover figuras de xadrez ou em jogar as cartas com um grupo de amigos. Mas uma vez que a semente da idolatra germinar, a planta começa a crescer. E em algumas pessoas se transforma em uma grande árvore, destruindo toda outra planta saudável e boa que a rodeia. Isto não acontece com todos, por suposto. 

Deus trata de prevenir eventualidades desafortunadas. A serva do Senhor lhe pedi que  desalente o afeto ao entretenimento e prazeres que provocam a aversão pelo trabalho útil e a disposição ruim ao trabalho prático. 

Se nós entendêssemos, tal como o nosso privilégio faze-lo, o branco que devemos alcança, a santidade, a semelhança à Deus em caráter, excluiríamos as diversões debilitantes e empobrecedores, em favor de melhor educação, cultura, e passatempo.

Não estamos dizendo que um homem se transforma em pecador porque joga xadrez e damas. Simplesmente dizemos que Deus busca o melhor para nós. ele sabe que nós necessitamos de recreação, e nos envia a buscar nas áreas aonde podemos edificar nossas vidas na maior felicidade e riqueza de conhecimento.  



ALGUMAS PASSAGENS DOS ESCRITOS DE ELLEN WHITE QUE ABORDAM O TEMA



Deve-se proibir o jogo de cartas. As associações e tendências são perigosas. O príncipe dos poderes das trevas preside nos salões de diversões e onde quer que haja jogo de cartas. Os anjos maus são hóspedes familiares nestes lugares. Nada existe de benefício à alma ou ao corpo nestes divertimentos. 

Coisa alguma para fortalecer o intelecto, nada para provê-lo de idéias valiosas para uso futuro. A conversa gira em torno de assuntos triviais e degradantes. Ouve-se aí gracejo indecente, palavreado baixo e vil, que diminui e destrói a verdadeira dignidade varonil. 

Essas diversões são as mais néscias, inúteis, prejudiciais e perigosas atividades que os jovens podem praticar. Aqueles que se dão ao jogo de cartas, tornam-se grandemente agitados, e logo perdem todo o gosto, pelas ocupações úteis e elevadas. A perícia no manuseio das cartas conduzirá logo ao desejo de empregar esse conhecimento e tato em proveito próprio. 

É apostada uma pequena soma e, em seguida, uma maior,  até que se adquire uma sede de jogar que leva a ruína certa. A quantos não têm essa diversão perniciosa levado a toda sorte de práticas pecaminosas, à miséria, à prisão, ao assassínio e à morte! E muitos pais ainda… Conselho sobre educação. pág 56.

O jogo de cartas deve ser proibido. São perigosas as companhias e as tendências. … Não há, nessas distrações, coisa alguma que beneficie o espírito ou o corpo. Nada que fortaleça o intelecto, nada que aí entesoure valiosas idéias para uso futuro. A conversação é freqüentemente sobre assuntos triviais e degradantes. .Conselho aos pais professores e estudantes.pág. 334

Há diversões tais como dançar, jogar cartas, xadrez, damas, etc., que não podemos aprovar, pois que o Céu as condena. Esses divertimentos abrem a porta para grandes males. Não são benéficos em sua tendência, e têm uma influência estimulante, produzindo em alguns espíritos uma paixão por esses jogos que levam ao jogo de azar e dissipação. Todos esses jogos devem ser condenados pelos cristãos, e substituídos, por algo perfeitamente inofensivo. Testimonies, vol. 1, pág. 514. 

O recreio é necessário aos que se acham ocupados em trabalho físico, e mais ainda, essencial àqueles cujo trabalho é especialmente mental. Não é essencial a nossa salvação, nem para a glória de Deus, manter o espírito em contínuo e excessivo esforço, mesmo sobre temas religiosos. 

Há distrações, como sejam a dança, o jogo de cartas, xadrez, damas, etc., que não podemos aprovar porquanto o Céu as condena. Essas diversões abrem a porta a grandes males. 

Não são benéficas em sua tendência, antes exercem efeito estimulante, produzindo em alguns espíritos uma paixão por aquelas diversões que conduzem ao jogo e à dissipação. Todos esses divertimentos merecem ser condenados pelos cristãos, devendo o seu lugar ser substituído por qualquer coisa perfeitamente inofensiva. Mensagem aos jovens. pág, 392

Companhia andam os filhos, e em que casa passam eles os serões. Alguns filhos enganam os pais com mentiras a fim de ocultar seu rumo errado. Uns há que buscam a sociedade de companheiros corrompidos, visitando às ocultas tabernas e outros lugares proibidos de ajuntamento na cidade. 

Alunos frequentam as salas de bilhar, e metem-se em jogo de cartas, lisonjeando-se de que não há perigo. Uma vez que seu objetivo é meramente divertir-se, sentem-se em perfeita segurança. Não são apenas os de classe mais baixa que fazem isso. Alguns cuidadosamente criados e educados a olharem essas coisas com aversão, estão-se arriscando a penetrar no terreno proibido. Conselho aos pais professores e estudantes. pág, 333.

 

Fonte: Blog Mais Relevante

Sobre Weleson Fernandes

Avatar
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

Qual a base Bíblica do Dom Profético de Ellen White?

A Igreja Adventista do Sétimo Dia advoga o dom de profecia como válido nestes últimos …

O GRANDE CONFLITO: A História por traz do livro

História do Livro “O Grande Conflito”A. Introdução — Gen. 3:15; Apoc. 12:9-10a. Quando respondemos à …

07(SETE) Motivos para sair das cidades (Textos de Ellen White)

Muitos pastores e líderes estão dizendo que ainda não é tempo para sair das cidades …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: