“Onde estão vossas afeições?”

Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da Terra. Colossenses 3:1, 2.

Podemos ter altas antecipações acerca das coisas desta vida, mas deparar-nos-emos com decepções. Veremos que essas antecipações se esfumarão. Eis, porém, “uma herança incorruptível, incontaminável e que se não pode murchar, guardada nos Céus para vós”. 1 Pedro 1:4. É preciso que fixemos nossos pensamentos nas coisas que permanecem, não nas que passam com o uso. Se fixarmos nossas esperanças no mundo futuro, imortal, não nos decepcionaremos.

Quando Cristo veio ao mundo, viu Ele que os homens haviam deixado fora de cogitação a vida futura, eterna. Ele veio para nos pôr ao alcance essa vida, a fim de que, contemplando-a, fôssemos levados a mudar nossa atitude para com as coisas da vida presente, e nossas afeições fossem colocadas nas coisas de cima, e não nas da terra, que tão logo hão de passar. A sombra que Satanás fez intervir entre nossa vida e Deus, Cristo procura afastar, para que a vista de Deus e da eternidade se torne clara. Conquanto Ele não despreze este mundo, coloca-o em seu devido lugar de subordinação. E então coloca as coisas da eternidade em sua relativa importância perante nós, para que fixemos o olhar da fé no invisível. As coisas de interesse temporal têm poder para absorver os pensamentos e afeições, e é importante que estejamos constantemente a nos educar e treinar nossos pensamentos para que demorem em coisas de interesse eterno. Far-nos-á isso infelizes? Trará dificuldades à nossa vida, aqui? Não, com efeito! … Quanto mais do Espírito de Deus, quanto mais de Sua graça for introduzido em nossa vida diária, tanto menos atrito haverá, tanto mais felicidade fruiremos, e tanto mais comunicaremos a outros.

Deus não pretende que a eternidade nos domine por tal forma que nos inabilite para os deveres da vida; e nunca isso fará, se acostumarmos nossa mente a demorar nos temas da eternidade, e os misturarmos com os deveres de nossa vida. A contemplação das realidades eternas não nos incapacitará para os deveres desta vida. Todos os esforços e atividades úteis da vida devem revelar-se-nos como circundados de um santo arco-íris de promessa.

Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais, pág. 315.

Sobre Weleson Fernandes

Weleson Fernandes
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

O que Ellen White diz sobre o jogo de Xadrez, Cartas Damas e Dominó

  Há muitas consultas com relação de qual seja a atitude da senhora White diante …

Qual a base Bíblica do Dom Profético de Ellen White?

A Igreja Adventista do Sétimo Dia advoga o dom de profecia como válido nestes últimos …

O GRANDE CONFLITO: A História por traz do livro

História do Livro “O Grande Conflito”A. Introdução — Gen. 3:15; Apoc. 12:9-10a. Quando respondemos à …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: