A Vereda do Sacrifício

E dizia a todos: Se alguém quer vir após Mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-Me. Lucas 9:23.

Cristo declara que, como Ele vivia, devemos nós viver.

Seus passos guiam pelo caminho do sacrifício. Através de nosso viver deparam-se-nos muitas oportunidades para o serviço. Por toda parte, ao nosso redor, há portas abertas para nosso préstimo. Pelo reto uso do talento da fala podemos muito fazer pelo Mestre. As palavras são um poder para o bem, quando repletas da ternura e simpatia de Cristo. O dinheiro, a influência, o tato, o tempo e as forças — tudo são dons confiados a nós, para nos tornar mais úteis aos que nos cercam, e maior honra ao nosso Criador.

Muitos julgam que seria privilégio visitar os cenários da vida de Cristo na Terra, andar onde Ele andou, contemplar o lago onde Ele gostava de ensinar, e os vales e colinas onde tantas vezes pousaram os Seus olhos; não precisamos, porém, ir à Palestina para seguir os passos de Jesus. Acharemos Suas pegadas junto ao leito do enfermo, nas favelas da pobreza, nos apinhados becos das grandes cidades, e em todo lugar onde haja corações humanos em necessidade de consolação.

Justamente como nós rastreamos o leito de um ribeirão pela linha de viva vegetação que ele produz, assim Cristo podia ser reconhecido nos atos de misericórdia que Lhe assinalavam o caminho a cada passo. Aonde quer que Ele fosse, irrompia a saúde, e a felicidade Lhe seguia os passos. Os cegos e os surdos regozijavam-se em Sua presença. A face de Cristo era a primeira que muitos olhos já haviam contemplado; Suas palavras, as primeiras que lhes alcançaram o ouvido. Suas palavras aos ignorantes abriam-lhes a fonte da vida. … Dispensava Suas bênçãos, abundante e continuamente. Elas eram os acumulados tesouros da eternidade, a rica dádiva do Senhor ao homem.

Milhões sobre milhões de indivíduos prestes a perecer, presos em cadeias de ignorância e pecado, nunca nem ao menos ouviram do amor que Cristo lhes tem. Se se invertessem as condições deles com as nossas, que desejaríamos que eles nos fizessem? Tudo isso, tanto quanto está em nosso poder, estamos sob a mais solene obrigação de fazer em seu favor. A regra de vida apresentada por Cristo, pela qual cada um terá de subsistir ou cair no juízo, é: “Tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós.” Mateus 7:12.

Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais, pág. 230.

Sobre Weleson Fernandes

Weleson Fernandes
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

O que Ellen White diz sobre o jogo de Xadrez, Cartas Damas e Dominó

  Há muitas consultas com relação de qual seja a atitude da senhora White diante …

Qual a base Bíblica do Dom Profético de Ellen White?

A Igreja Adventista do Sétimo Dia advoga o dom de profecia como válido nestes últimos …

O GRANDE CONFLITO: A História por traz do livro

História do Livro “O Grande Conflito”A. Introdução — Gen. 3:15; Apoc. 12:9-10a. Quando respondemos à …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: