Casamentos apressados, prematuros

O perigo das afeições imaturas

Casamentos precoces não convêm. Relação tão importante como a do casamento, e tão vasta no alcance de seus resultados, não deve ser assumida precipitadamente, sem suficiente preparo, e antes de se acharem bem desenvolvidas as faculdades mentais e físicas.

Rapazes e moças se casam sem ter desenvolvido o amor ponderado, o amadurecimento necessário, os sentimentos nobres e elevados, e assumem os compromissos de um casamento completamente guiados por suas paixões juvenis.

Compromissos assumidos por pessoas muito novas freqüentemente têm resultado em uniões infelizes ou em vergonhosas separações. As uniões precoces, formadas sem o consentimento dos pais, raramente são felizes. As afeições juvenis devem ser refreadas até chegar o período em que tenham idade e experiência suficientes para tornar sua manifestação correta e segura. Os que não se controlarem estarão em perigo de passar uma existência infeliz.

Um jovem, na adolescência, é incapaz de julgar se uma pessoa tão jovem quanto ele é adequada para ser sua companheira por toda a vida. Depois que se tornam mais maduros, vêem-se presos um ao outro por toda a vida, e talvez absolutamente despreparados para fazer feliz um ao outro. Então, em vez de tornar sua situação a melhor possível, surgem críticas, a brecha que os separa se alarga, até que se estabeleçam a indiferença e a negligência de um para com o outro. Para eles, nada existe de sagrado na palavra “lar”. A própria atmosfera é envenenada por palavras rudes e amargas censuras.

Os casamentos precoces produzem grande parte dos males que predominam hoje. O casamento que ocorre demasiado cedo não promove nem a saúde física nem o vigor mental. A razão é bem pouco exercida nesse assunto. Muitos jovens agem segundo o impulso. Esse passo que os afeta seriamente para o bem ou para o mal, e que será uma bênção ou maldição por toda a vida, é muitas vezes dado precipitadamente, movido pelo impulso do sentimento. Muitos não darão ouvidos à razão ou orientação de um ponto de vista cristão.

Satanás está constantemente ocupado em levar jovens inexperientes à união matrimonial. Mas quanto menos nos orgulharmos dos casamentos que se estão realizando, tanto melhor.

Em conseqüência de casamentos apressados, mesmo entre o professo povo de Deus, há separações, divórcios e grande confusão na igreja.

Que contraste entre o procedimento de Isaque e o que é praticado pelos jovens de nossos tempos, inclusive muitos cristãos! Os jovens freqüentemente acham que a entrega de suas afeições é uma questão na qual o eu apenas deve ser consultado. Muito antes de atingirem a idade de homens ou mulheres adultos, julgam-se competentes para fazer sua escolha, sem o auxílio dos pais. Uns poucos anos de vida conjugal são, em geral, suficientes para evidenciar seu erro, mas muitas vezes demasiado tarde para impedir os resultados indesejados. A mesma falta de prudência e domínio que determinaram a escolha precipitada faz o mal se agravar, até que a relação matrimonial se torna um jugo mortal. Muitos assim fizeram naufragar sua felicidade nesta vida e sua esperança da salvação.

Obreiros em potencial são enredados

Jovens há que receberam a verdade e correram bem por algum tempo, mas Satanás os têm enredado em suas malhas mediante uniões insensatas e casamentos desaconselháveis. Essa, viu ele, seria a melhor maneira de desviá-los dos caminhos da santidade.

Foi-me mostrado que a juventude de hoje não tem verdadeira noção de seu grande perigo. Há entre os jovens muitos que Deus aceitaria como obreiros nos vários ramos de Sua obra, mas aos quais Satanás barra os seus passos e assim os apanha em suas teias, de maneira que se tornam arredios em relação a Deus e incapazes para Sua obra. Satanás é um trabalhador perspicaz e perseverante. Ele sabe precisamente como enlaçar o incauto, e é alarmante que poucos consigam escapar de suas armadilhas. Eles não vêem o perigo e não se protegem contra seus enganos. Satanás os anima a se afeiçoarem depressa um ao outro sem buscar a sabedoria de Deus ou daqueles a quem Ele enviou para os advertir, reprovar e aconselhar. Consideram-se auto-suficientes e não desejam ser contidos.

Conselho a um adolescente

Suas idéias imaturas a respeito do amor em relação às meninas não passam uma boa imagem de você. Se continuar nessa direção, seus estudos certamente serão prejudicados. Você será levado a formar associações impuras; corrompidos serão os seus caminhos e os de outros. É assim que o seu caso me foi apresentado, e enquanto persistir em seguir seu próprio caminho, qualquer pessoa que desejar ajudá-lo, influenciar ou conter, encontrará a mais determinada resistência, porque seu coração não está em harmonia com a verdade e a justiça.

Diferenças de idade

Quem pretende se casar pode não possuir riquezas, mas deve ter a bênção maior da saúde. E na maioria dos casos não deve haver diferença muito grande de idade. A negligência desta regra pode resultar em sério dano para a saúde do mais jovem. E não raro sucede serem os filhos lesados em força física e mental. Não podem receber de um pai idoso o cuidado e companheirismo que os mais jovens exigem, e estão sujeitos a ficar privados do pai ou da mãe, pela morte destes, justamente quando o amor e a orientação seriam mais necessários.

Ellen G. White, Fundamentos do lar Cristão, Capítulo 8.

Sobre Weleson Fernandes

Weleson Fernandes
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

POR QUE ALGUNS PAIS FALHAM?

  Introdução: 1. Deus enviou o jovem profeta Samuel com a seguinte mensagem para Eli:2. …

Um Lar Segundo a Vontade de Deus

  Introdução: 1. Ler Ecl. 4:9-10, 12…2. A aritmética é a arte de calcular…3. Meus …

O Lugar das Crianças

  Introdução: 1. “Coroa dos velhos são os filhos dos filhos, e a glória dos …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: