“Maria, a Mãe de Jesus”

 

Introdução:


1. Você já desejou saber por que Deus escolheu Maria para ser a mãe de Jesus?
2. Maria foi uma pessoa ímpar, a única entre milhões de mulheres a ser escolhida como instrumento de Deus para trazer Seu Filho ao mundo.
3. Ela é verdadeiramente sem igual!
4. Mas por que Maria foi tão abençoada por Deus?
5. Por que ela foi tão altamente favorecida?
6. Há cinco importantes razões para isso.


I. MARIA ERA PURA.


A. A vila de Nazaré, onde Maria viveu e cresceu, ficava na linha das caravanas que iam de Cafarnaum aos portos marítimos.
1. Como em toda geração, existiam mulheres nesta cidade que se tornaram envolvidas com os viajantes dessas caravanas.
a. Mas o mesmo não se deu com Maria!
b. Maria era pura!
2. De fato, não poderia ter havido infidelidade alguma no caráter de Maria.
a. Caso houvesse Deus não poderia tê-la escolhido.
3. As palavras que foram ditas á ela pelo anjo Gabriel naquele dia ecoavam a completa aprovação de Deus.
a. Ler Luc. 1:30-33…
4. Algumas das grandes obras-primas da pintura retratam o anjo anunciando esta mensagem á Maria e dando-lhe um ramo de lírio.
a. O lírio é o símbolo da pureza de Maria.
5. Existem algumas pessoas hoje que não acreditam que Maria era uma virgem.
a. Elas tentam abolir a realidade do nascimento sobrenatural de Cristo sugerindo que Jesus nasceu de uma união natural, de uma união humana.
6. Séculos antes de o anjo aparecer à Maria, o profeta de Deus, chamado [saías, escreveu as seguintes palavras:
a. Ler Isa. 7:14…
b. Portanto Deus, através de Sua Palavra, ordenou que Maria
fosse virgem, fosse pura e possuidora de um caráter sem
mancha. .
c. Além disso, rejeitar o nascimento virginal é classificar Maria como imoral.
d. A Bíblia mostra claramente que ela e José, de quem ela era
noiva, ainda não haviam se juntado como marido e mulher.
7. Sim, sem o nascimento virginal, temos uma Maria impura.
a. Sem o nascimento virginal, temos um Jesus somente humano e uma Bíblia imperfeita.
b. Mas com o nascimento virginal, temos Jesus Cristo, Emanuel, Deus conosco!
B. Quando Maria recebeu o anúncio do anjo, ela ficou confusa: “Mas como posso ter um filho? Eu sou uma virgem” disse ela.
1. Então o anjo deu-lhe a seguinte explicação: “Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a Sua sombra; pelo que também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus” Luc. 1:35.
2. Além desta explicação, o anjo deu mais uma prova à Maria que seu Filho realmente não teria um pai humano.
3. Que prova foi esta?
a. Leiamos Luc. 1:36-37…
b. Se Deus podia fazer isto por Isabel, então Ele poderia fazer qualquer coisa.
4. Maria foi então visitar sua prima.
a. Quando elas se encontraram, Isabel reconheceu imediatamente que Maria era uma mulher escolhida por Deus.
b. Ela a cumprimentou como a mãe de seu Senhor, com grande alegria.
5. Sim, Maria era pura.
a. Como um instrumento escolhido por Deus, ela deve ser
reconhecida pelo papel especial que ela desempenhou na vinda do Messias.


II. MARIA ERA SUBMISSA.


A. Quando o anjo acabou de fazer o surpreendente anúncio que Maria seria a mãe do Messias, ela belamente respondeu: “Eis aqui a serva do Senhor: cumpra-se em Mim segundo a tua palavra” Luc. 1:38.
1. “Senhor, eu sou Tua serva”…
a. “A Tua vontade, é a minha vontade”…
b. “Que tudo seja feito de acordo com a Tua palavra.”
2. Que submissão!
a. Maria poderia ter hesitado ou mesmo se rebelado.
b. Ela poderia ter dito: “Eu sou tão indigna. Eu nunca poderei ser alguém.”
c. Ou poderia ter arrazoado: “Nós não temos um lar digno para o Filho do Altíssimo. Ele deveria ter enfermeiros angelicais para cuidar dEle. Por favor não conte comigo.”
3. Mas ela não agiu assim.
a. De fato, Maria estava disposta mesmo a perder seu amado José a fim de cumprir o plano de Deus.
4. Estou certo que havia muitas questões na mente de Maria.
a. “Que direi às pessoas já que não tenho marido?…”
b. “Que direi a José, o meu noivo, o homem com quem me
casarei?”
c. Quão oprimida e confusa ela deve ter ficado!
5. Mas Maria abandonou-se nas mãos de Deus, para qualquer coisa que Ele tivesse reservado para ela.
a. Mesmo sem saber como Deus podia realizar o que havia
prometido, e sem saber o que Ele haveria de fazer, se entregou. sem compreender a magnitude da promessa.
b. As palavras de Maria são de um consentimento humilde,
diante da vontade de Deus.
c. Ela foi não somente obediente, mas também paciente, e
exerceu uma expectação anelante.
d. Seu Coração ficou cheio do Espírito Santo, e o seu corpo
estava preparado para ser o santuário do Filho de Deus.
e. Vemos aqui uma bela dependência, que serve de lição para todas as mães, para o mundo inteiro.
B. Pensemos também no que José deve ter sentido.
1. Quando ficou sabendo da gravidez de Maria, estou certo que ele foi agitado pela dúvida.
a. Sim, ele ficou agitado e aflito.
b. Talvez Maria não tivesse dito a ele como ficou neste estado.
c. Mateus, nos dá entender que José ficou transtornado.
2. Ler Mat. 1:19-20…
3. Contudo, Maria estava disposta a sofrer toda a vergonha e
censura que resultariam de sua condição.
a. Por que?
b. Porque ela cria plenamente que a mão sobrenatural de Deus estava operando em sua vida.
c. E o Senhor recompensou a submissão de Maria enviando um anjo a José.
4. Sim, a pureza de Maria e seu espírito de submissão são altamente dignos de nossa admiração.


III. MARIA CONHECIA A BÍBLIA.


A. Ela amava a Palavra de Deus.
1. Embora fosse bastante jovem, possivelmente tivesse menos de vinte anos, Maria era uma pessoa devota.
2. Ela conhecia muito bem as Escrituras.
3. Ela havia estudado muito a Lei e os profetas.
4. Seu cântico, o Magnificat, refere-se a porções das Escrituras tiradas de 1 Samuel, Salmos, Isaías, Miquéias e Êxodo.
a. É um cântico verdadeiramente belo.
b. Encontramos parte dele em Luc, 1:46-49.
c. Ler…
5. É verdade que Maria poderia ter pronunciado estas belas palavras sob inspiração divina, possivelmente sem nenhum conhecimento anterior a respeito delas, mas usualmente Deus usa o talento que Ele já concedeu.
6. Sim, Maria estava familiarizada com a Palavra de Deus.
a. E o que ela havia estudado e ponderado em seu coração brotou dele como um glorioso louvor ao Senhor.
b. Maria saturou sua vida com as Escrituras.
7. O Filho de Deus não recebeu instrução nas escolas da sinagoga.
8. Sua mãe foi Sua primeira professora humana.
9. De seus lábios e dos rolos dos profetas, Ele aprendeu a respeito das coisas celestiais. .
10. Sim, Jesus adquiriu Sua educação no lar.
11. Sua piedosa mãe foi quem Lhe ministrou os rudimentos de Sua educação.
12. De seus puros lábios e dos santos rolos dos profetas, que Maria conhecia tão bem, aprendeu Ele qual era a vontade de Deus.


IV. MARIA ERA TRABALHADEIRA.


A. “Mulher virtuosa quem a achará?”, pergunta o escritor de Prov. ; “O seu valor muito excede o de rubis” Prov. 31:10.
1. Ela então é descrita como alguém que “trabalha de boa vontade com as suas mãos” 31:13.
a. Ela, “é como o navio mercante: de longe traz o seu pão” v. 14.                                                                                                        b. Ela, “ainda de noite se levanta, e dá mantimento à sua casa, e a tarefa às suas servas” v.15.
c. Ela, “estende as suas mãos ao fuso…” v.19.
d. Ela, “abre a sua mão ao aflito, e ao necessitado estende as suas mãos” v.20.
e. “A força e a glória são os seus vestidos, e ri-se do dia futuro” v. 25.
2. Estas palavras descrevem muito bem. a jovem Maria.
a. Aparentemente nem ela nem José vieram de um lar rico.
b. Havia sempre muito trabalho duro para ser feito.
c. Maria sabia o que era trabalhar no campo, moer grãos, lavar suas roupas na fonte e carregar água.
3. As pinturas que vemos de Maria são provavelmente amplamente diferentes da diligente dona de casa que ela realmente era.
a. Sim, Maria foi uma mãe que muito lutou com a pobreza, com ansiedade e perplexidades.
4. Ela vestia-se como uma pobre camponesa da Galiléia.
a. Usava roupas bastante humildes.
5. Mas era pura, submissa, grande conhecedora das Escrituras e muito trabalhadeira.


V. MARIA PODERIA GUARDAR UM SEGREDO.


A. Deveríamos também admirar o caráter de Maria por causa de sua boa vontade em ponderar todas as coisas que Deus estava fazendo.
1. Maria tinha a habilidade de guardar as coisas para si mesma.
a. Este é um talento raramente encontrado hoje!
2. Poderia Maria contar para sua mãe as palavras do anjo?
a. Sua mãe ainda era viva?
b. A Bíblia não nos diz nada a respeito de seus pais,
possivelmente eles já estavam mortos nesta época.
3. Maria não poderia e não falou a José a respeito de seu
maravilhoso segredo.
a. Tudo aconteceu tão depressa!
4. Havia somente uma pessoa no mundo a quem ela poderia ir e abrir seu coração.
a. Esta pessoa era Isabel que habitava na região montanhosa da Judéia.
b. Então ela viajou rapidamente para a casa de Isabel, onde
encontrou uma surpreendente acolhida.
c. Pois, Isabel reconheceu imediatamente que Maria era a mulher da escolha de Deus e então cantou um maravilhoso hino de louvor.
B. Lucas nos diz que Maria ponderou ou, literalmente, considerou todas as coisas que estavam-lhe acontecendo.
1. Ela as guardou em seu coração (Luc. 2:19).
2. Depois da profecia angelical, ela ponderou a mensagem do poderoso anjo.
3. Depois de encontrar-se com Isabel, ela ponderou todas as
implicações de ser escolhida como instrumento especial de Deus.
4. Quando os pastores vieram para visitar o menino Jesus, ela ponderou a maravilha de tudo aquilo.
5. Ela não jactou-se para os vizinhos nem partilhou as novas para com a comunidade.
a. Maria acreditava em seu coração que a santa Criança dela
nascida, era o tão longamente esperado Messias; não ousava,
entretanto, exprimir essa fé.
6. Ela ponderou todas estas coisas em seu coração.
a. Esta ponderação demonstra uma mulher devota, modesta,
respeitável e crente!
7. Maria cria em Jesus porque ela tinha ponderado muito a respeito dEle. a. Ela O contemplou em Seu maravilhoso crescimento.
8. Ela sabia que Ele não era um filho qualquer.
a. Ela O observou desenvolver-Se até a maturidade e iniciar Seu ministério terrestre…
b. Ela ponderou tudo o que Deus estava fazendo.
9. Maria estava presente quando a rude multidão clamou:
“Crucifica-O! Crucifica-O!”
a. Ela contemplou os soldados pregá-Lo na rude cruz.
b. Contudo, ela não intercedeu por Ele, pois ela conhecia Seu
verdadeiro propósito (H.R., 220).
c. Maria sabia que Jesus era realmente o Filho de Deus, o
Redentor da humanidade, o Salvador do mundo.


Conclusão:


1. Possa Deus dar-nos mães como Maria!
2. Contudo, lembremo-nos que Maria, também, era uma pessoa com grandes necessidades.
3. Maria era uma mulher digna de reconhecimento, no entanto era uma mulher que necessitava de um Salvador.
4. Maria estará no Céu não porque Jesus foi seu Filho, mas porque Jesus foi seu Salvador, Senhor e Redentor.
5. Sim, a única esperança de redenção para nossa raça caída, está em Cristo.
6. Maria só podia encontrar salvação mediante o Cordeiro de Deus.
7. Não possuía em si mesma nenhum mérito.
8. Seu parentesco com Jesus não a coloca para com Ele em posição diversa, espiritualmente, da de qualquer outra alma humana.
9. Admiramos Maria por sua pureza, por seu espírito submisso, por seu conhecimento da Bíblia, por sua diligência no trabalho e por sua boa vontade em ponderar todas as coisas que Deus tinha feito.
10. Possa cada mãe procurar estas mesmas qualidades que Maria possuía.
11. Para que assim, também, possam trazer honra e glória a seu Filho, Jesus Cristo, o Salvador.

 

Veja aqui a lista de todos os SERMÕES PARA OCASIÕES ESPECIAIS.

 

 

Sobre Weleson Fernandes

Avatar
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

A IMORTALIDADE DA ALMA

  INTRODUÇÃO: Gên. 3:4.1. ” Mediante os dois grandes erros – a imortalidade da alma …

A ATRAÇÃO DA CRUZ DE CRISTO

  INTRODUÇÃO: Os méritos da cruz de Cristo oferecidos aos pecadores. 1. Completa a eterna …

A MISSÃO DA IGREJA

  INTRODUÇÃO: S. Mat. 28:19-20 1. “A igreja foi organizada para servir, e sua missão …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: