Quem foi Jacó?

JACÓ, o enganador, é transformado em ISRAEL, o príncipe de Deus.

Nenhuma outra personagem da Bíblia representa mais claramente que Jacó, o conflito entre os baixos e altos da natureza humana.

Começando numa descendente, às vezes alcançava grandes alturas, porém outras vezes afundava-se na sórdida luta pela ganância. Mas alcança por fim o nível da fé triunfante.

Nenhum leitor fervoroso, que estuda a história do curso da vida deste homem pode duvidar que, apesar de todas as suas debilidades, foi um instrumento escolhido por Deus.

Duas verdades principais iluminam sua vida:

1 – A infelicidade produzida por problemas familiares e a poligamia. Este fato é ilustrado pela sua vida

2 – O poder transformador da comunhão com Deus. Esta verdade brilha claramente através de todas as experiências mais elevadas deste homem escolhido. O diagrama de sua vida espiritual ilustra os elementos humanos e divinos manifestados em sua vida. A linha curva marca os níveis altos e baixos de sua vida.

I. Seus primeiros anos. Descida , problemas domésticos.

Nota: As letras referem-se aos pontos no diagrama acima:

A. Compra de seu irmão Esaú os direitos de primogenitura, Gn 25: 29,34

B. Engana o seu idoso pai, Gn 27: 1,29

C. Vê-se forçado a fugir para salvar a vida. Vai a Padã-Arã a fim de escolher sua esposa, Gn 27:41; 28:1-5

Uma experiência noturna em nível alto.

D. A visão espiritual e o voto em Betel, Gn 28: 10-22 – 10

II. Em Harã. Os problemas familiares continuam.

E. Decepção no romance devido ao engano, Gn 29; 15-30 – Depois, disse Labão a Jacó: Acaso, por seres meu parente, irás servir-me de graça? Dize-me, qual será o teu salário? Ora, Labão tinha duas filhas: Lia, a mais velha, e Raquel, a mais moça. Lia tinha os olhos baços, porém Raquel era formosa de porte e de semblante. Jacó amava a Raquel e disse: Sete anos te servirei por tua filha mais moça, Raquel. Respondeu Labão: Melhor é que eu ta dê, em vez de dá-la a outro homem; fica, pois, comigo. Assim, por amor a Raquel, serviu Jacó sete anos; e estes lhe pareceram como poucos dias, pelo muito que a amava. Disse Jacó a Labão: Dá-me minha mulher, pois já venceu o prazo, para que me case com ela. Reuniu, pois, Labão todos os homens do lugar e deu um banquete. À noite, conduziu a Lia, sua filha, e a entregou a Jacó. E coabitaram. (Para serva de Lia, sua filha, deu Labão Zilpa, sua serva.) Ao amanhecer, viu que era Lia. Por isso, disse Jacó a Labão: Que é isso que me fizeste? Não te servi eu por amor a Raquel? Por que, pois, me enganaste? Respondeu Labão: Não se faz assim em nossa terra, dar-se a mais nova antes da primogênita. Decorrida a semana desta, dar-te-emos também a outra, pelo trabalho de mais sete anos que ainda me servirás. Concordou Jacó, e se passou a semana desta; então, Labão lhe deu por mulher Raquel, sua filha. (Para serva de Raquel, sua filha, deu Labão a sua serva Bila.) E coabitaram. Mas Jacó amava mais a Raquel do que a Lia; e continuou servindo a Labão por outros sete anos

F. A grande e sórdida luta com seu sogro e o ciúme entre suas esposas.

G. Movimento ascendente, o chamado divino para regressar à terra prometida Gn 31:3 – E disse o SENHOR a Jacó: Torna à terra de teus pais e à tua parentela; e eu serei contigo. Parte em segredo, mas seu sogro o persegue, Gn 31:20-24 – E Jacó logrou a Labão, o arameu, não lhe dando a saber que fugia. E fugiu com tudo o que lhe pertencia; levantou-se, passou o Eufrates e tomou o rumo da montanha de Gileade. No terceiro dia, Labão foi avisado de que Jacó ia fugindo. Tomando, pois, consigo a seus irmãos, saiu-lhe no encalço, por sete dias de jornada, e o alcançou na montanha de Gileade. De noite, porém, veio Deus a Labão, o arameu, em sonhos, e lhe disse: Guarda-te, não fales a Jacó nem bem nem mal.

H. Em seu caminho de obediência encontra-se com mensageiros angelicais, Gn 32:1-

Outra grande experiência espiritual.

I. Alarmado pela aproximação de seu irmão com quatrocentos homens, recorre à oração, Gn 32;3-12,

J. Passa uma noite lutando com Deus, em súplica desesperada. Sai vitorioso e recebe novo nome, ISRAEL, Gn 32:24-32. Tem um encontro afetuoso com seu irmão Esaú, Gn 33:1-16

K. Sua filha Diná é desonrada, Gn 34:1-5.

L. Devido à vingança de seus filhos, vêm dificuldades sobre ele, Gn 34:7-31.

M. Quando chega em Betel, lembra de sua visão ali e erige um altar, Gn 35: 1- 15.

III. Seus últimos anos. Os problemas domésticos continuam.

N. A parcialidade paterna e os ciúmes dos irmãos fazem com que José seja vendido ao Egito, Gn 37: 1-36.

O. Outros problemas familiares, Gn 38:1-30.

P. O êxito de José e seu chamado divino ao Egito, Gn 39 a 45: Gn 46:1-4.

Seus últimos dias.

Q. À beira da morte, bendiz seus netos e filhos, Gn 48 e 49.

R. Muitos creêm que ele profetizou a vinda do Messias, Gn 49:10

Características do seu caráter

Astuto Gn 25:31-33, Enganador Gn 27:18-19, Colheu o resultado do seu próprio pecado, Gn 27:42,43, Tornou-se religioso, Gn 28:10,20,21, Afetuoso Gn 29:18, Trabalhador Gn 31:40, Habituado à oração Gn 32:-12,24-30, Disciplinado pela Aflição Gn 37:28,42:36, Homem de Fé Hb 11:21.

Autor: Weleson Fernandes

Sobre Weleson Fernandes

Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

Crime e pena de morte: vítimas de assassinato não são lixo

Como é de se esperar quando assuntos polêmicos são abordados, as manifestações aos meus vídeos …

Apóstolo Paulo combatendo os críticos de Corintios

Eu, Paulo, pela mansidão e pela bondade de Cristo, apelo para vocês; eu, que sou …

Que é Música Sacra?

“Há diferentes opiniões a respeito do que seja música sacra. Tradicionalmente entende-se por música que …

Deixe uma resposta

×

Sejam Bem Vindos!

Sejam bem Vindo ao Portal Weleson Fernandes !  Deixe um recado, assim que possível irei retornar

×
%d blogueiros gostam disto: