19. Taciano, o Assírio

Judaizante Gnóstico – Século II – Ásia Menor

Abstinência em comer carne, tomar bebidas alcoólicas, proibição do casamento e dedicação às práticas ascéticas. Taciano, o Assírio (120-180), foi o fundador da seita dos encratitas.

Ele realizou um inteligente sincretismo religioso das doutrinas de Marcião e de Saturnino.

Essa seita é chamada de encratitas por causa de sua temperança, domínio próprio, continência e autocontrole. 

Muitas vezes os encratitas também foram chamados de “severianos”, em homenagem a Severus que se tornou um líder proeminente na direção do movimento encratita.


Os encratitas formavam uma seita cristã ascética e gnóstica no segundo século depois de Cristo. Eles eram radicais. Proibiam o casamento e aconselhava a abstinência de carne e de bebidas alcoólicas.

Irineu de Lyon (130-202) foi o primeiro a mencionar em seus livros a existência da seita dos encratitas. Ele afirmou que os encratitas nasceram a partir das doutrinas de Saturnino e Marcião.

Hipólito de Roma (sec. III) refere-se aos encratitas como ortodoxos, mas com práticas equivocadas: “reconhecendo o que é de Deus e de Cristo de maneira similar à Igreja. Porém, sobre seu estilo de vida, eles passam os dias inflados com orgulho”; “se abstendo de comida animal, bebendo apenas água e proibindo o casamento”; “estimados cínicos ao invés de cristãos”.

Os encratitas tinham tendências judaizantes, aceitavam a Lei, os Profetas e os Evangelhos. Porém, rejeitavam o livro Atos dos Apóstolos e amaldiçoavam a Paulo e as suas epístolas, a quem consideravam herético.

Além das preferências judaizantes, os encratitas possuíam uma tendência gnóstica siríaca.

Por abominarem o casamento, chegaram a declarar que as mulheres seriam obra de Satanás. Por abominarem as bebidas alcoólicas chamaram o vinho de “gotas de veneno da grande Serpente”.

Imaginavam-se superiores aos demais cristãos por absterem-se de alimento cárneo, por beberem somente água e proibindo o casamento entre eles. Pelo resto de suas vidas entregavam-se às práticas ascéticas.

Os encratitas eram encontrados em grande número e estavam espalhados por várias regiões na Ásia menor, em Pisídia, na Frígia, Selêucia, Isáuria, Panfília, Cilícia, Galácia, Antioquia e na província romana da Síria.

Com o passar do tempo dividiram-se em diversos grupos, entre os quais se destacam:

1. Os “apostolici”. O movimento condenava a propriedade privada.2. Os “aquarii”. A seita substituía o vinho pela água durante a santa ceia.

Após o Concílio de Niceia em 325, os bispos de várias regiões da cristandade obtiveram o apoio dos imperadores romanos para dizimar as seitas declaradas heréticas.

Mediante o Édito de Tessalônica de 380, o imperador romano Teodósio I (347-395) decidiu tornar o catolicismo a religião oficial do Império Romano. 

Com esse propósito, Teodósio declarou em 382 a morte a todos que professassem o nome de encratitas e aquarianos e ordenou que fossem realizadas extensas buscas por estes heréticos, considerados maniqueístas disfarçados.

 


Clique AQUI para acessar os outros temas.

 

 

 

Sobre Weleson Fernandes

Avatar
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

38. Sérgio I de Constantinopla

Cristologia – Século VII – ConstantinoplaCristo tinha duas naturezas, mas uma só vontade: a divina.Sérgio …

37. Juliano de Halicarnasso

Cristologia – Século VI – HalicarnassoO corpo de Cristo era incorruptível.O bispo Juliano de Halicarnasso …

36. Diofisismo

Cristologia – Século V – CalcedôniaCristo tinha duas naturezas distintas: divina e humana.Em 451 o …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: