6 – CRISTO TOMOU NOSSA NATUREZA

Muito debate se concentrou em se Jesus adotou nossa natureza decaída ou a natureza de Adão antes da queda. Mesmo que isso possa parecer um ponto sem importância, realmente tem implicações tremendas para o tipo de vida que podemos viver dia a dia. 

Que tipo de ser humano era Jesus? Que tipo de herança Jesus recebeu de Maria? Ele estava isento das leis da hereditariedade a que nós estamos sujeitos ao nascer? Sua natureza O levou ao pecado como a nossa? 

Que carne Jesus tomou? 

 

“Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne.”  

Romanos 8:3

Verdadeiro __ Falso __ Jesus veio em semelhança de carne pecaminosa. 

A primeira coisa a entender é que a palavra “carne” neste texto e em muitos outras referências do Novo Testamento, significa natureza caída como a conhecemos na nossa própria natureza. 

Refere-se ao equipamento básico que todos herdamos como resultado do pecado de Adão. Carne pecaminosa neste versículo significa a natureza caída que todos compartilhamos a partir do nosso nascimento. Mas o que significa quando lemos que Cristo veio “à semelhança da carne do pecado”? 

O que significa “semelhança”? 

Isso significa “real” ou “semelhante a”? Jesus foi feito semelhante a que? 

“…tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens.” Filipenses 2:7 

(A) ______ Jesus foi feito à semelhança de anjos. 

(B) ______ Jesus foi feito à semelhança de príncipes. 

(C) ______ Jesus foi feito à semelhança de homens normais. 

A mesma palavra grega para “semelhança” é usada nesses dois versículos (Romanos 8:3 e Filipenses 2:7). 

Pergunta: 

Jesus foi feito semelhante aos seres humanos ou Ele se tornou um ser humano real? 

Creio que todos concordaríamos que quando Jesus desceu a esta terra, Ele se tornou um homem de verdade. Mas não precisamos confiar em nosso senso comum ou deduções. 

Vejamos na Palavra de Deus. 

Como Jesus veio à terra? 

 

“Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; E todo [o] espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o [espírito] do anticristo, do qual [já] ouvistes que há de vir, e eis que já agora está no mundo.”

1 João 4:2,3 

(A) _____ Aqueles que acreditam que Jesus veio em carne estão errados. 

(B) _____ O espírito do anticristo diz que Jesus veio em carne. 

(C) _____ Aqueles que são de Deus dizem que Jesus veio em carne. 

Lembre-se de que carne no Novo Testamento significa nossa natureza decaída. Aqui existem evidências conclusivas de que Jesus não era apenas um humano real de carne e osso, mas que Ele realmente tomou nossa carne. 

Em Filipenses 2:7, lemos que Jesus tomou a semelhança do homem. Claramente, isso significa que Jesus se tornou um ser humano de verdade, real. Aqui “semelhança” significa “de verdade”. 

Em Romanos 8:3, lemos que Ele veio “em semelhança da carne pecaminosa.” Jesus parecia que tinha carne pecaminosa, ou Ele realmente teve carne pecaminosa? 

O Testamento Grego dos Expositores comenta este versículo: 

“Mas a ênfase … está na semelhança de Cristo conosco, não na sua dessemelhança; … o que ele (Paulo) quer dizer com isso é que Deus enviou Seu Filho naquela natureza que em nós se identifica com o pecado.” (Vol. 2, pp. 645.646) 

Parece que, se quisermos interpretar a semelhança em Filipenses 2:7 como nossa natureza humana de verdade, devemos interpretar a semelhança em Romanos 8:3 como carne pecaminosa de verdade. 

O que Jesus realmente herdou? 

 

“E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas.”  

Hebreus 2:14

Verdadeiro __ 

Falso __ Jesus não herdou nossa carne e sangue. 

Jesus de fato tomou a mesma carne e sangue que recebemos em nosso nascimento. Esse debate sobre a natureza de Cristo poderia ser facilmente resolvido com algumas questões básicas. 

Jesus nasceu com a mesma “carne” com a qual nascemos? 

Será que a Bíblia ensina que Ele foi isento de nossa “carne” de alguma forma especial para que pudesse ter uma natureza perfeitamente sem pecado? 

Quão semelhante a nós era Jesus? 

“Porque, na verdade, ele não tomou sobre Si a natureza dos anjos, mas tomou sobre Si a semente de Abraão. Por isso convinha que em tudo fosse feito semelhante aos irmãos.” Hebreus 2:16,17 (KJV) 

(A) ______ Jesus tomou a natureza dos anjos. 

(B) ______ Jesus tomou a natureza de Adão. 

(C) ______ Jesus tomou a semente de Abraão. 

Se Jesus nasceu na semente de Abraão, então apenas temos que fazer a pergunta: Que natureza toda a semente (descendentes) de Abraão receberam? 

Claramente todos eles receberam a natureza caída como um direito de nascença. Observe também que o texto diz que Jesus foi feito como seus irmãos (nós) em todas as coisas. 

Outra referência inspirada apoia esta conclusão. 

 

“Teria sido uma quase infinita humilhação para o Filho de Deus, revestir-Se da natureza humana mesmo quando Adão permanecia em seu estado de inocência, no Éden. Mas Jesus aceitou a humanidade quando a raça havia sido enfraquecida por quatro mil anos de pecado. Como qualquer filho de Adão, aceitou os resultados da operação da grande lei da hereditariedade. O que estes resultados foram, manifesta-se na história de Seus ancestrais terrestres. Veio com tal hereditariedade para partilhar de nossas dores e tentações, e dar-nos o exemplo de uma vida sem pecado.” O Desejado de Todas as Nações, p. 49. (Ênfase fornecida) 

Quais são os resultados da lei da hereditariedade em nós? Qual natureza os antepassados de Jesus herdaram? A resposta para essas perguntas é óbvia demais. 

A única conclusão possível é que Jesus veio com a mesma hereditariedade que Davi e Abraão possuíam. 

Conclusão 

 

Não há evidências inspiradas de que Jesus tenha herdado apenas os resultados físicos da queda, como fome, fraqueza, sede e mortalidade, mas que Ele não herdou traços disposicionais. 

Essas áreas não podem ser separadas. E se a lei da hereditariedade estava em operação, ela operou de forma total. Se recebemos traços de caráter de nossos pais, então Jesus recebeu traços de caráter de Sua mãe, pois ela era uma mãe totalmente humana. 

Se não partilhamos da crença de que ela foi concebida de forma imaculada (imaculada conceição), então devemos acreditar que ela teve a mesma natureza caída que todos os seres humanos possuem, e que ela passou essa natureza para o Filho. 

Não há evidências inspiradas que sugiram que a cadeia da hereditariedade foi quebrada entre Maria e Jesus. A única razão pela qual essa clara evidência bíblica é negada é porque muitos cristãos acreditam que ter uma natureza caída é a mesma coisa de ser um pecador condenado. 

Portanto, eles dizem que teria sido impossível Jesus ter recebido a natureza caída de Maria, porque isso teria feito dele um pecador também, e Ele não poderia ter sido nosso Salvador sem pecado. 

Essa é a razão da doutrina da conceição imaculada de Maria – proteger Jesus de qualquer mancha de pecado. É por isso que muitos cristãos falam sobre Cristo ser “isento” das leis normais da hereditariedade. A dificuldade aqui é a questão sobre a natureza do pecado (lições 1-4). 

É por isso que começamos esta série de lições sobre justificação pela fé estudando o pecado. Se não entendemos a definição bíblica de pecado, não podemos entender também a Encarnação de Cristo, e desenvolveremos um falso evangelho, baseado em falsas premissas sobre o pecado. 

Se Cristo não descesse completamente ao nosso nível, Satanás teria gritado a todos os cantos “injusto” imediatamente, e não teria sido realizado nada em favor da justiça para responder as perguntas básicas sobre o plano de salvação.

Colocar Jesus acima da nossa natureza, vivendo na natureza perfeita de Adão, é obscurecer a incrível vitória dEle por nós. Onde está a força de nossas tentações? Certamente dentro da nossa natureza caída. Cristo sabe por experiência o que significa ser tentado por dentro. 

Podemos nos alegrar por Jesus não ter contornado o horror de nascer em um mundo caído, com pais caídos, com uma natureza caída. De fato, temos um Salvador extremamente próximo a nós. 

Ele não se colocou numa zona livre da nossa doença, da nossa natureza caída, dando instruções de comunicação a partir de uma grande distância, mas Ele pisou exatamente onde estamos, na nossa zona de batalha ao nosso lado. Ele pega nossa mão e nos leva para fora do tremedal de lama no qual nos encontramos, se não resistirmos. Louvado seja Deus por tamanho Salvador!


CLIQUE AQUI para acessar o índice com todas as 16 lições.

Sobre Weleson Fernandes

Avatar
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

A IMORTALIDADE DA ALMA

  INTRODUÇÃO: Gên. 3:4.1. ” Mediante os dois grandes erros – a imortalidade da alma …

A ATRAÇÃO DA CRUZ DE CRISTO

  INTRODUÇÃO: Os méritos da cruz de Cristo oferecidos aos pecadores. 1. Completa a eterna …

A MISSÃO DA IGREJA

  INTRODUÇÃO: S. Mat. 28:19-20 1. “A igreja foi organizada para servir, e sua missão …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: