7 – SEM HÁBITOS PECAMINOSOS

Por mais importante e reconfortante que seja entender que Jesus tomou nossa natureza caída quando Ele veio ao nosso mundo, há outro aspecto da Encarnação que devemos estudar para entender corretamente como Ele viveu enquanto tomou a forma humana. 

Jesus realmente era diferente de nós de várias maneiras, e devemos entender essas diferenças se quisermos ter uma imagem equilibrada da Encarnação. Erros modernos no estudo da Encarnação geralmente têm sido os resultados de enfatizar demais tanto as diferenças entre nós e Cristo, bem como as semelhanças entre Ele e nós. 

De onde Cristo veio? 

 

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu: … e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da eternidade, Príncipe da Paz.”

Isaías 9: 6 

(A) ______ Jesus começou em Belém. 

(B) ______ Jesus é o Pai da eternidade. 

(C) ______ Jesus teve um começo em algum momento. 

Este texto surpreendente nos diz que é apropriado chamar Jesus de Pai eterno. Embora não possamos entender isso completamente, isso nos diz que Jesus existia por toda a eternidade, assim como o Pai. Essa é a diferença mais significativa entre Jesus e seres humanos. 

O que Jesus decidiu antes de nascer? 

“Por isso, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, mas corpo me preparaste; …Então disse: Eis aqui venho (no princípio do livro está escrito de mim), para fazer, ó Deus, a tua vontade.” Hebreus 10: 5,7 

(A) ______ Jesus decidiu fazer a vontade de Deus. 

(B) ______ Jesus decidiu nascer em um corpo humano. 

(C) ______ Jesus decidiu ficar no céu. 

Duas respostas corretas

Este texto vem do Salmo 40:8, que é uma profecia de Jesus tornando-se parte da família humana. Antes de começar sua vida na terra, Ele escolheu ser obediente ao Pai. 

A decisão que tomamos quando somos convertidos (ou nascemos de novo), Jesus fez antes de nascer. Portanto, Ele nasceu sob o poder e controle do Espírito Santo. Sua vontade foi entregue a Deus desde o nascimento, enquanto a nossa vontade rende-se a Deus somente no novo nascimento. 

Quem Jesus escolheu para sua mãe? 

 

“E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e chamarás o seu nome JESUS.”  

Lucas 1:31

Verdadeiro ____ 

Falso ____ Antes de ser concebido, Jesus sabia quem era Sua mãe. 

O anjo foi enviado para que Maria soubesse que ela seria a mãe terrena de Jesus. Por esse fato haver acontecido antes de Jesus ser concebido em seu ventre, é óbvio que Jesus fazia parte do processo de planejamento celestial que resultou no nascimento por uma virgem. Jesus teve o privilégio notável de escolher Seus pais terrenos! 

Quem tomou o lugar de pai terreno para Jesus? 

“E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra.” Lucas 1:35 

(A) ______ José era o pai de Jesus. 

(B) ______ Um anjo era o pai de Jesus. 

(C) ______ O Espírito Santo tomou o lugar de pai para Jesus. 

Nenhum ser humano jamais teve o Espírito Santo como pai. A verdade do nascimento pela virgem é um dos fatos mais surpreendentes das Escrituras, em que podemos acreditar, embora nunca possamos entender. 

Qual foi o resultado dessa concepção milagrosa? 

 

“Por isso, também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.”

Lucas 1:35 

Verdadeiro____ Falso____ Jesus nasceu santo. 

Esta é a diferença mais notável entre Jesus e os seres humanos. Nenhum ser humano nasce santo, embora nasçamos inocentes da culpa. Jesus foi santo desde Sua primeira entrada no mundo, e Ele permaneceu santo pelo resto de Sua vida. 

Jesus já pecou? 

“Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.” 2 Coríntios 5:21 

Verdadeiro____ Falso____ Jesus nunca pecou. 

Como sabemos que “todos pecaram” (Romanos 3:23), essa é uma outra diferença óbvia entre Jesus e os seres humanos. Desde o nascimento até a morte, Jesus nunca cedeu nenhuma vez sequer às tentações de Satanás ou aos clamores de Sua natureza. 

Conclusão

 

Embora nunca possamos explicar completamente o funcionamento da Encarnação, somos capazes de averiguar alguns fatos básicos. O nascimento de Jesus foi claramente diferente de todos os outros nascimentos neste mundo. 

Cumprindo os propósitos desse estudo, encontramos que talvez a mais significativa diferença entre Jesus e nós foi que Ele escolheu a obediência a Deus antes de nascer, e assim nasceu sob o poder e controle do Espírito Santo. 

Para nós, tudo isso não pode acontecer até sermos convertidos e escolhermos entregar nossa vida a Deus. O resultado prático dessa diferença foi que Cristo quando criança não desenvolveu aqueles hábitos pecaminosos que todos nós desenvolvemos quando crianças. 

Seu caráter não se inclinou na direção da desobediência e rebelião provenientes dos hábitos pecaminosos desenvolvidos em uma idade muito jovem. Embora Sua natureza fosse a mesma que a nossa natureza, com todo o mesmo potencial de desobediência que existe em nossa natureza, o caráter era puro e santo desde o nascimento. 

E assim que pôde escolher por Si mesmo, sempre fez a escolha de manter Seu caráter rendido a Deus. Tudo isso dá a Jesus uma vantagem injusta sobre nós? Na verdade, não. 

Eu posso ter o mesmo poder e controle do Espírito Santo e a mesma vitória sobre o pecado quando eu optar por entregar minha vida a Deus. Eu posso ter a conexão de Jesus com Deus e Seu caráter pelo processo do novo nascimento. Isso é tudo que Deus me pede. 

Deus não me pede para viver uma vida sem pecado, desde o nascimento até a morte, como foi requerido de Jesus. O que Deus pede, é para eu crer em Jesus, nascer de novo do Espírito Santo e fazer de Jesus o Senhor da minha vida e de tudo o que eu fizer. 

No entanto, se Jesus não herdou a mesma natureza que eu, isso dá a Jesus uma vantagem injusta sobre mim. Não importa que escolhas eu faça, não posso mudar minha natureza decaída. Não importa o quanto me submeta a Deus, não posso ter a natureza sem pecado que Adão tinha. 

Se a perfeita obediência de Jesus se baseava no fato de que Ele tinha uma natureza não caída, então Ele tinha uma vantagem que eu nunca poderei ter. Se a perfeita obediência é restrita àqueles de natureza não caída, então eu nunca poderei apresentar uma perfeita obediência. 

Um dos principais argumentos de Satanás era que a lei de Deus era injusta para os seres humanos caídos, porque eles nunca conseguiriam obedecê-la. O único jeito de Jesus refutar essa mentira de Satanás era tomar a natureza caída e obedecer à lei de Deus nessa natureza. 

Como resultado de nosso estudo até agora, podemos concluir que, se a obediência de Jesus a Deus foi baseada no controle de Sua vida pelo Espírito Santo, então eu também posso escolher ter esse mesmo controle e poder em minha vida e posso viver uma vida de total obediência a Deus. Posso ter a mesma “vantagem” que Jesus teve!


CLIQUE AQUI para acessar o índice com todas as 16 lições.

Sobre Weleson Fernandes

Avatar
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

A IMORTALIDADE DA ALMA

  INTRODUÇÃO: Gên. 3:4.1. ” Mediante os dois grandes erros – a imortalidade da alma …

A ATRAÇÃO DA CRUZ DE CRISTO

  INTRODUÇÃO: Os méritos da cruz de Cristo oferecidos aos pecadores. 1. Completa a eterna …

A MISSÃO DA IGREJA

  INTRODUÇÃO: S. Mat. 28:19-20 1. “A igreja foi organizada para servir, e sua missão …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: