30. Agostinho de Hipona

Soterologia – Século IV – Hipona

Dependência da Graça.

Agostinho de Hipona (354-430), conhecido como Santo Agostinho foi bispo de Hipona e um dos maiores teólogos dos primeiros séculos do cristianismo.

Escreveu dezenas de livros. São obras-primas: “A Cidade de Deus” e “Confissões”.

Sua mãe, Mônica, era uma cristã muito devota. Seu pai, Patrício, converteu-se no leito de morte. 


Por mais de treze anos Agostinho manteve uma vida dissoluta e vivia em concubinato com uma jovem cartaginense, que lhe deu um filho chamado Adeodato.

Depois de uma vida desregrada converteu-se incitado por uma voz que lhe dizia: Toma, lê. Lançando o olhar para um livro que seu amigo Alípio estava lendo, deu-se com a epístola de Paulo, que decidiu a sua conversão e foi batizado por Ambrósio.

Entre tantos assuntos que discorreu em seus livros, ele também escreveu sobre os seguintes:

1. Pecado original: 

O pecado de Adão e Eva é congênito e hereditário. Ele é herdado por todos os seres humanos porque em Adão toda a humanidade pecou, abrindo as comportas do mal, da morte física e espiritual em todas as suas consequências.

2. Predestinação: 

Por um decreto eterno e soberano, algumas pessoas estavam predestinadas a serem salvas, independentemente da vontade ou dos méritos do homem.

3. Batismo: 

O batismo de criança é necessário porque depois do pecado de Adão, todo homem traz dentro de si o pecado original. Portanto, toda humanidade precisa ser purificada, ser lavada.

4. Graça: 

A humanidade é uma “massa condenada”, pois toda ela pecou em Adão. 

Nenhum homem, por seus próprios méritos, pode ser subtraído da devida punição. Portanto, o homem precisa da graça divina. Nenhum homem pode ser salvo por seus próprios méritos e não pode ser salvo sem a graça divina.

5. Amilenialismo: 

O milênio é simbólico e não uma descrição literal. Havia começado com o período da Igreja e o reino espiritual de Jesus Cristo.

6. A Igreja: 

Concebida como uma Cidade Celestial governada pelo amor que triunfará no final sobre todos os impérios terrenos.

 


Clique AQUI para acessar os outros temas.

 

 

Sobre Weleson Fernandes

Weleson Fernandes
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

38. Sérgio I de Constantinopla

Cristologia – Século VII – ConstantinoplaCristo tinha duas naturezas, mas uma só vontade: a divina.Sérgio …

37. Juliano de Halicarnasso

Cristologia – Século VI – HalicarnassoO corpo de Cristo era incorruptível.O bispo Juliano de Halicarnasso …

36. Diofisismo

Cristologia – Século V – CalcedôniaCristo tinha duas naturezas distintas: divina e humana.Em 451 o …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: