A prova do apetite

Antes, subjugo o meu corpo e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.                   1 Coríntios 9:27.

Após Seu batismo, o Filho de Deus penetrou no assustador deserto, a fim de ali ser tentado pelo diabo. Por quase seis semanas suportou Ele as angústias da fome. … Sentiu o poder do apetite sobre o homem; e em favor do pecaminoso homem suportou a prova máxima, nesse ponto. Aí foi alcançada uma vitória que poucos sabem avaliar. O poder dominante do apetite depravado, e o grave pecado de com ele condescender, só podem ser compreendidos tomando em conta a extensão do jejum que nosso Salvador suportou, a fim de que lhe pudesse quebrar o poder.

A intemperança está na base de todos os males morais conhecidos ao homem. Cristo começou a obra da redenção justamente onde começou a ruína. A queda de nossos primeiros pais foi causada pela condescendência com o apetite. Na redenção, a negação do apetite é a primeira obra de Cristo. O Filho de Deus viu que o homem não podia, de si mesmo, vencer essa tentação poderosa. … Veio Ele à Terra para unir Seu poder divino aos esforços humanos, para que, mediante a força e o poder moral por Ele comunicados, pudéssemos nós vencer, em nosso próprio favor. Oh! que incomparável condescendência, descer o Rei da glória a este mundo de um inimigo astucioso, a fim de que alcançasse uma infinita vitória para o homem. Aí está um amor sem paralelo. Entretanto, essa grande condescendência é compreendida apenas palidamente por aqueles em favor dos quais foi realizada.

Não foram as destruidoras ânsias da fome, apenas, que tornaram tão inexpressivelmente severos os sofrimentos de nosso Redentor. Foi a intuição de culpa que resultara da condescendência com o apetite, a qual trouxera tão terrível desgraça sobre o mundo, que Lhe oprimia pesadamente Sua vida divina.

Revestido da natureza humana, e com o terrível peso dos pecados da mesma a oprimi-Lo, nosso Redentor resistiu ao poder de Satanás nessa grande tentação principal, que põe em perigo os seres humanos. Vencendo essa tentação, venceria o homem em todos os demais pontos.

Ellen G. White, Cuidado de Deus, pág. 168.

Sobre Weleson Fernandes

Weleson Fernandes
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

O que Ellen White diz sobre o jogo de Xadrez, Cartas Damas e Dominó

  Há muitas consultas com relação de qual seja a atitude da senhora White diante …

Qual a base Bíblica do Dom Profético de Ellen White?

A Igreja Adventista do Sétimo Dia advoga o dom de profecia como válido nestes últimos …

O GRANDE CONFLITO: A História por traz do livro

História do Livro “O Grande Conflito”A. Introdução — Gen. 3:15; Apoc. 12:9-10a. Quando respondemos à …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: