10. Setianismo

Gnosticismo – Século I – Egito Cristo é a própria pessoa de Set.

Originalmente, o Setianismo era uma seita gnóstica de origem judaica com forte influência platônica. A seita havia sido criada antes do cristianismo. Porém, com a pregação do evangelho no Egito, a seita imiscuiuse com o cristianismo no primeiro século.

Juntamente com a seita dos Valentinianos, o Setianismo tornou-se uma das mais proeminentes correntes do gnosticismo cristão no segundo e terceiros séculos.

A principal doutrina defendida pelo Setianismo era a sua veneração ao personagem bíblico “Set”, o terceiro filho de Adão e Eva. A pessoa de “Set” não deve ser confundida com o deus egípcio de mesmo nome. 

Conforme a seita setianista, “Set” teria sido o escolhido por Deus para organizar uma sociedade humana justa e perfeita. “Set” seria o revelador do verdadeiro conhecimento. 

Por isso os setianistas consideravam-se da linhagem de “Set”, a parte da humanidade que tinha atingido a gnose. Portanto, somente eles seriam salvos, ao contrário do resto da humanidade: os descendentes de Caim e Abel.

Os setianistas atribuíam a “Set” tudo o que era bom, sublime e excelente. Assim, quando o cristianismo propagou-se pelo Império Romano, os setianistas receberam o conhecimento de Cristo, a quem imediatamente identificaram como sendo o próprio “Set”. 

Portanto, para os setianistas, Cristo e Set eram as mesmas pessoas (Segundo Logos do Grande Seth).

Os livros setianos mais destacados são os seguintes: 

“Códice Bruce”, “Apócrifo de João”, “Hipóstase dos Arcontes”, “Evangelho Copta dos Egípcios”, “Apocalipse de Adão”, “Três Estelas de Sete”, “Zostrianos”, “Melquisedeque”, “Pensamento de Norea”, “Marsanes”, “Alógenes”, “Protenoia Trimórfica”, “Sobre a Origem do Mundo”, “O Trovão: a Mente Perfeita”, “Evangelho de Judas”. 

Todos eles foram considerados obras apócrifas.

Os setianistas são mais conhecidos pelo livro intitulado “Apócrifo de João”. Trata-se de uma obra que apresenta uma completa visão de mundo gnóstica. 

Esse livro contém a mais famosa cosmogonia, que descreve um Deus desconhecido, que era imóvel, invisível, intangível e inefável.

O “Evangelho Copta dos Egípcios” apresenta a compreensão gnóstica setiana de como a Terra veio a existir. Também apresenta uma doutrina que era muito cara aos setianos: 

A explicação de como Sete encarnou neste mundo como Cristo para livrar as almas das pessoas da prisão maligna que é a criação.

O “Apocalipse de Adão” foi descoberto no Egito em 1945 na chamada Biblioteca de Nag Hammadi. 

Nele Adão é identificado como sendo o pai de Set, e que teria transmitido todo seu conhecimento secreto ao seu filho

 


Clique AQUI para acessar os outros temas.

 

 

Sobre Weleson Fernandes

Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

39. Diotelismo

Cristologia – Século VII – CalcedôniaCristo tinha duas naturezas e duas vontades.O diotelismo ensina que …

38. Sérgio I de Constantinopla

Cristologia – Século VII – ConstantinoplaCristo tinha duas naturezas, mas uma só vontade: a divina.Sérgio …

37. Juliano de Halicarnasso

Cristologia – Século VI – HalicarnassoO corpo de Cristo era incorruptível.O bispo Juliano de Halicarnasso …

Deixe uma resposta

×

Sejam Bem Vindos!

Sejam bem Vindo ao Portal Weleson Fernandes !  Deixe um recado, assim que possível irei retornar

×
%d blogueiros gostam disto: