13 – A PERFEIÇÃO É REALMENTE POSSÍVEL?

Perfeição é uma palavra problemática. O que essa palavra realmente significa? O que não significa? 

Alguns acreditam que é espiritualmente prejudicial enfatizar o assunto da perfeição. Mas talvez parte do problema esteja em não definirmos com cuidado nossos termos que usamos. 

Vamos dar uma olhada de perto neste assunto muito evitado para ver se é tão assustador assim quanto parece. A perfeição tem quatro significados diferentes, que podem ser parte da razão pela qual é incompreendida. 

Como Deus é descrito? 

 

“Porque eu sou o Senhor, não mudo.”

Malaquias 3: 6 

Verdadeiro _____ 

Falso _____ Deus muda periodicamente. 

Somente Deus pode ser descrito dessa maneira. Somente Deus nunca precisa mudar ou ajustar Seu pensamento ou ações baseadas em novas informações. 

Desde que Deus sabe todas as coisas – passado, presente e futuro – não há possibilidade de que Ele seja surpreendido por novas informações. 

Nenhum ser criado, incluindo anjos, pode ser descrito dessa maneira, pois todos estão sujeitos a novas informações que mudarão suas ideias e ações. A falta de informação sempre leva a conclusões imprecisas e talvez erradas. 

Como Jesus é descrito?

“Jesus Cristo, o mesmo ontem, hoje e eternamente.” Hebreus 13: 8

Verdadeiro _____ 

Falso _____ Jesus muda periodicamente. 

Visto que Jesus é descrito da mesma maneira que Deus, é claro que Ele compartilha desse atributo único de Deus. Isso é PERFEIÇÃO ABSOLUTA. Isso significa que nunca haverá um erro cometido ou um erro de julgamento com base em informações defeituosas. 

Às vezes se diz que os seres humanos nunca podem ser absolutamente perfeitos. Isto está correto, porque a perfeição absoluta descreve somente Deus. Não há outro que seja ou possua a perfeição absoluta. Assim, nunca será possível a perfeição absoluta para seres criados – nem para seres humanos e nem para anjos. 

“A perfeição angelical falhou no céu. A perfeição humana falhou no Éden.” (Nossa Alta Vocação, p. 40.5) 

Como o homem foi criado? 

 

“Então Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou …. E viu Deus tudo o que havia feito, e eis que era muito bom.”

Gênesis 1:27,31 

 

(A) _____ O homem foi criado imperfeito. 

(B) _____ O homem precisou de muito desenvolvimento. 

(C) _____ O homem foi criado à imagem de Deus – muito bom. 

Deus criou Adão e Eva na perfeição completa possível aos seres finitos. Ele fez a humanidade à Sua própria imagem – o mais próximo de Deus possível aos seres criados.

 Essa é a PERFEIÇÃO DA NATUREZA. A própria natureza do homem estava em completa harmonia com Deus e o resto da criação. Sua mente e corpo funcionavam perfeitamente unidos. Ele não teve que lutar contra sentimentos e emoções discordantes. 

Seus impulsos e tendências estavam em equilíbrio e em completo acordo com as leis de Deus. Tudo funcionava corretamente! 

O que acontecerá conosco na ressurreição? 

“Assim também a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se [o corpo] em corrupção; ressuscitará em incorrupção… Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade.” 1 Coríntios 15: 42,52,53 

(A) _____ Recebemos a imortalidade na ressurreição. 

(B) _____ Recebemos a imortalidade em um momento. 

(C) _____ Recebemos imortalidade quando morremos. 

Duas respostas corretas Nossa natureza humana corruptível e pecaminosa será mudada por Deus na segunda vinda de Cristo para uma natureza humana perfeita incorruptível. 

Depois desse tempo não haverá mais estímulos pecaminosos de nossa natureza. Assim a perfeição da natureza, que envolve a remoção da tentação de dentro, ocorrerá apenas na segunda vinda de Cristo. Não podemos experimentar a perfeição da natureza antes disso. 

Quanto de nosso coração Deus pede? 

 

“Disse-lhe Jesus: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.”

Mateus 22:37 

Verdadeiro _____ Falso _____ Deus pede todo o nosso coração e mente. 

No momento da conversão, quando entregamos nossa vida completamente a Cristo, somos contados perfeitos em Cristo. A única coisa que Deus nos pede no processo de conversão é dar-lhe todo o nosso coração. 

Ele não aceitará um coração dividido, no qual amamos a Deus e ao mundo igualmente. A única condição que devemos alcançar para sermos salvos é uma rendição total e completa de toda a nossa vida a Deus. Ele não aceitará nada menos que isso. 

Mesmo que estejamos apenas começando nossa caminhada com Cristo, Ele aceita nossa RENDIÇÃO DE CARÁTER e somos contados perfeitos em Cristo. 

Como uma planta revela esse processo? 

“Porque a terra produz fruto de si mesma; primeiro a erva, depois a espiga, por último o grão cheio na espiga.” Marcos 4:28 

Verdadeiro _____ Falso _____ A erva é tão necessária quanto a fruta madura. 

Mesmo que uma planta seja muito imatura quando a primeira folhinha verde aparece acima no solo, não é menos importante que a planta totalmente cultivada. Sem esse primeiro crescimento, nenhuma colheita será possível. 

A pequena plantinha é perfeita, porque é tudo o que poderia ser esperado dela. Em cada estágio de crescimento, a planta pode ser perfeita, pois cresce até a maturidade. Da mesma forma, quando nosso caráter é totalmente entregue a Deus, essa é uma submissão perfeita naquele momento, com o conhecimento disponível para nós até então. 

É uma submissão de tal forma que tudo que entendemos de nós mesmos e da vontade de Deus para nós esteja em sujeição completa. Deus aceitará a rendição total de tudo o que sabemos sobre nós mesmos naquela hora. 

Assim, nossa entrega de caráter é perfeita, porque é contada como perfeita por Deus. Aliás, este é o único requisito para a salvação, agora ou no futuro. Deus não exige sabedoria, estudo ou anos de vida, como é ilustrado na história do ladrão na cruz. 

Qual é o plano de Deus para nós? 

 

“Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo.”

Efésios 4:13 

 

(A) _____ Deus não se importa se crescemos ou não. 

(B) _____ Deus espera que cresçamos até a maturidade. 

(C) _____ Nunca podemos nos tornar perfeitamente maduros. 

Embora Deus seja muito gentil em nos dar tempo para aprender e desenvolver, e Ele nos conta perfeitos durante esse tempo, Ele quer que cresçamos até a plena maturidade. 

Ele até diz que deseja que alcancemos a estatura da plenitude de Cristo. O evangelho é um tremendo poder que Deus está disposto a compartilhar conosco, para nos levar a alturas que nunca poderíamos imaginar. 

A maturidade do caráter é simplesmente o amadurecimento da colheita na vida individual. Estamos amadurecendo em Cristo quando não estamos mais escolhendo pecar contra Deus. Se Jesus vive dentro de nós através do processo de justificação e santificação, então quando Ele controla nossas vidas, não pecamos porque Cristo não peca. 

O que Deus pode realizar em nós? 

“Todo aquele que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele: e não pode pecar, porque nasceu de Deus.”1João 3: 9 

(A) _____ O plano de Deus é que não pequemos. 

(B) _____ Deus sabe que algum pecado é inevitável.

(C) _____ O novo nascimento nos permite parar de pecar. 

Duas respostas corretas Este conceito pode ser expresso de uma maneira simples, mas clara. Cristo dentro – pecado fora. Pecado dentro – Cristo fora. 

Não podemos ter Cristo e o pecado reinando no trono da vida ao mesmo tempo. Cristo não aceitará um coração dividido, lembra? Em um caráter maduro, Cristo controla totalmente e, portanto, não há como fazer escolhas rebeldes. 

Passamos a escolher não nos rebelar contra Deus em pensamento, palavra ou ação. Importante ressaltarmos que estamos nos concentrando no que Deus pode fazer, não no que eu não posso fazer. 

Ao definir a perfeição, descobrimos que as duas definições importantes para o nosso estudo são aquelas categorias sobre as quais temos algum controle. Se acreditarmos que o pecado é por escolha, também acreditaremos que a obediência também é por escolha. 

Podemos optar por render-nos, e podemos optar por crescer até a maturidade. Porque Cristo fornece o poder da vitória, um caráter perfeitamente maduro – como o de Cristo – é sim possível para todos os cristãos submissos. 

O novo nascimento traz perfeição em Cristo, e isso é sempre suficiente para a salvação. Somos salvos sob condição de completa submissão. O problema é que interrompemos essa submissão a Cristo. 

O poder de Cristo não muda, mas nosso render-se a Cristo não é constante. São as interrupções que podem e devem cessar, pois devemos deixar que Cristo nos controle totalmente em todos os momentos. 

Por natureza, sempre mereceremos o título de pecadores até que Cristo venha (uma vez que já pecamos). Mas podemos decidir não fazer nenhuma escolha contra a vontade de Deus (a partir de hoje). 

Na verdade, podemos de verdade ter um caráter sem pecado em uma natureza pecaminosa. Se Cristo venceu aos clamores de Sua natureza decaída pelo controle do Santo Espírito, então podemos vencer também, pois o mesmo poder está disponível a nós

 

 


CLIQUE AQUI para acessar o índice com todas as 16 lições.

 

 

Sobre Weleson Fernandes

Weleson Fernandes
Escritor & Evangelista da União Central Brasileira

Verifique também

A IMORTALIDADE DA ALMA

  INTRODUÇÃO: Gên. 3:4.1. ” Mediante os dois grandes erros – a imortalidade da alma …

A ATRAÇÃO DA CRUZ DE CRISTO

  INTRODUÇÃO: Os méritos da cruz de Cristo oferecidos aos pecadores. 1. Completa a eterna …

A MISSÃO DA IGREJA

  INTRODUÇÃO: S. Mat. 28:19-20 1. “A igreja foi organizada para servir, e sua missão …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: